Parem de derrubar árvores (174)

Muito linda, essa palmeirinha. Mas, infelizmente, tombou na Praça do Entroncamento. Percebi, há alguns dias, que tinha caído. Não sei se por causa natural ou devido a  vandalismo. Nesse caso, teríamos mais uma cena de arboricídio, entre as tantas que presenciamos no Recife. Encontrei a palmeira no chão, um reunião com alguns amigos, para o início de um  passeio pelas ruas da cidade com o Grupo Caminhadas Culturais, que teve aquele local como ponto de partida.

Havia chuva, mas não era forte. Também não senti ventania que justificasse a sua queda. E não tinha  vestígio de ação da motosserra insana. Se ela não caiu devido a algum espírito de porco – que não gosta da natureza –  pode ter tombado por alguma doença que enfraqueceu o seu caule ou a raíz. O fato é que, com sua queda, temos menos uma planta no Recife.

O avanço de uma doença na vegetação urbana, muitas vezes, se deve à negligência dos órgãos públicos. Hoje, passei pelo mesmo local, e vi  que não houve reposição da planta que caiu.  Mas percebi lá que restao toquinho que sobrou da palmeira.  Vamos torcer para que volte a brotar, e que cresça com a generosidade que a natureza sempre nos dá. Quem sabe, com as chuvas da estação invernosa, ela não volte a viver? Assim espero.

Leia também:
Fícus assassinado tem reposição
Marco Zero: palmeira tem reposição
Parem de derrubar árvores (151)
Arboricídio, palmeiras e carnaval
Carambola: o milagre do renascimento

Texto e foto: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.