Depois do tráfico, o repatriamento

Estou gostando de ver a integração de órgãos estaduais – principalmente entre São Paulo e Pernambuco –  quando o assunto é a defesa da fauna brasileira. E também entre Pernambuco e o Cerrado ou entre Pernambuco e a Amazônia. Todo mundo sabe que cada bicho tem o seu habitat. Mas tem muita gente traficando animais silvestres. E ,de vez em quando, se apreende, um tucano no Recife ou um azulão, lá pela Pauliceia. E também outras aves e bichos diversos que são da fauna nordestina. Muitos deles típicos da caatinga ou da Mata Atlântica do Nordeste.

Por exemplo: O Centro de Recuperação de Animais Silvestres (Cras-Pet) – órgão do Departamento de Águas e Energia Elétrica de São Paulo – enviou para o nosso estado  165 aves e 21 iguanas, no final de semana. Em outras palavras: os animais foram repatriados para Pernambuco.  Os bichinhos já estão todos no Centro de Triagem de Animais Silvestres da Agência Estadual de Meio Ambiente, o Cetas Tangara. Eles encontram-se em observação e serão devidamente reintroduzidos à natureza, no momento adequado.

O croncriz parece um xexéu (que tem olhos azuis), mas ao contrário deste, possui olhos amarelos: canto admirado

É a primeira vez que o Cetas recebe répteis, no caso as iguanas (Iguana iguana), repatriados da capital paulista. Os animais foram encaminhados por avião, no final de semana, com tudo que têm direito: gaiolinhas apropriadas para viagem, água, frutinhas e sementes para comer. Os animais vêm de apreensões resultantes de tráfico, venda pelas redes sociais e entregas voluntárias. Uma das iguanas foi achada no pátio de uma igreja.

Entre as espécies encaminhadas agora pelo Cras-pet, do governo paulista, há 44 galos-de-campina (Paroaria dominicana), 37 azulões (Cyanoloxia brissonii), 28 papa-capins (Sporophila nigricollis), 10 golinhos (Sporoiphila albogularis), 10 concrizes (Icterus jamacaii) e 4 tico-ticos (Lanio pileatus), entre outros. Concrizes, xexéus e curiós são muito visados pelo tráfico e por colecionadres. Os animis possuem belo canto e, treinados,  cantam até o Hino Nacional em torneios.  O xexéu imita os sons que o rodeiam e também os da natureza, como o barulho emitido pelos chocalhos da cascavel. Se muito repetidos, eles aprendem ligeirinho.  Os repatriamentos fazem parte das parcerias que visam garantir a sobrevivência das espécies em seus locais de ocorrência, soltas na natureza. Recentemente a Agência Estadual do Meio Ambiente (Cprh) repatriou tucano para a Amazônia.

Leia também:
O Herói de Sete Cores
Pintor verdadeiro volta à natureza
Jabutis repatriados para Pernambuco
Maracanã de buriti será repatriada 
Tucano será repatriado para a Amazônia
Papagaios: novas entregas voluntárias

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Divulgação/ Cprh

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.