Nestlé quer embalagem biodegradável

Enquanto há empresas que só se visam o vil meta – desprezando a natureza e vidas humanas – que terminam em exemplos como a barragem que estourou em Brumadinho – felizmente há corporações que começam a mostrar sinais de preocupação com a natureza. E uma destas é Nestlé.  Verdade que já era tempo, já que se trata da maior empresa de alimentos e bebidas do mundo, com presença em 194 países. Ela vem anunciando medidas que contribuam para melhorar os destinos do planeta, seus rios e oceanos. Em fevereiro, uma de suas marcas mais populares – Nescau – informou que pretende banir os canudos de plásticos de suas embalagens. Eles serão substituídos por canudos de papel, o que deve evitar o descarte anual de 4 milhões de canudinhos não biodegradáveis na natureza. Também anunciou apoio ao Projeto Tamar, referência internacional em proteção de tartarugas marinhas. Os quelônios  têm penado com a ingestão de plásticos em suspensão nos oceanos.

Nesta semana – quando se comemora o Dia Nacional da Água – a Nestlé e a Veolia Environnement SA anunciaram parceria no trabalho de coleta, classificação e reciclagem de materiais plásticos, com ênfases em embalagens flexíveis.  Daquelas que a gente vê boiando, por exemplo, no Rio Capibaribe ou na Praia de Boa Viagem, aqui no Recife. Os projetos serão desenvolvidos inicialmente em onze países da África, Ásia, Europa e América Latina, onde está inserido o Brasil, Pernambuco, Recife. Como vocês sabem, os plásticos além de poluir a terra, têm se revelado verdadeiros vilões da vida aquática e, principalmente, da vida marinha. De acordo com a WWF, até 2050, os oceanos terão mais plásticos do que peixes, caso não sejam tomadas providências para deter o seu descarte irregular em rios, canais, riachos, lagoas e praias por exemplo.

Há alguns dias, uma baleia apareceu morta nas Filipinas e os pesquisadores encontraram 40 quilos de plásticos em seu estômago. “Somente”.  No Nordeste do Brasil, tem se tornado comum o aparecimento de tartarugas sufocadas com esse tipo de material. Ou seja, o plástico constitui uma verdadeira ameaça à saúde do Planeta. Informa a Nestlé que com o convênio com a Veolia, deverá aumentar o conteúdo reciclado de suas embalagens de água para 35 ´por cento. E pretende que ocorra o mesmo com todas as outras embalagens, para 15 por cento. A Veolia  atua na gestão das águas e de resíduos,  e está entre as maiores do setor no mundo. Com a quantidade de produtos da Nestlé no mercado, esses percentuais representam uma melhora, mas ainda haverá muito com o que se poluir nos 194 países onde multinacional está presente. Porque até 2025 – quando aquelas metas devem ser alcançadas –  uma mega quantidade de plásticos ainda estará circulando na natureza. Bom, em todo caso, começar a se preocupar e tomar iniciativas em favor do Planeta já é um grande passo.  Um bom começo. Em 2018, a Nestlé criou um instituto para estudo e desenvolvimento de embalagens sustentáveis. O #OxeRecife torce para que todas sejam assim. Vamos ficar de olho?

Leia também:
Brumadinho: 125 hectares de florestas e vidas destruídas
Visite o legado das águas nas férias 
Mar: mais plástico do que peixe
A praia de Boa Viagem está limpa?
Praia dos Carneiros ganha aliado contra o turismo predatório
Startup faz campanha contra lixo
Quatro milhões a menos de canudos no mercado
Plásticos viram vilões de tartarugas 

Texto e foto: Letícia Lins/ #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.