Ambulantes no Parque da Jaqueira

Depois que falei aqui que as calçadas no Pátio de Casa Amarela estão livres de camelôs – coisa difícil de se ver, aqui no Recife – choveram reclamações de passeios públicos indevidamente ocupados na nossa cidade. Leitores reclamam da dificuldade de andar na Avenida Conde da Boa Vista, na Rua Sete de Setembro, na do Hospício, na das Calçadas, na Praça Dom Vital, no Pátio do Livramento, todas situadas no Centro. Mas chegaram, também, pedidos para mostrar a situação das calçadas que circundam o Parque da Jaqueira, o mais frequentado do Recife.

Passei lá várias vezes. A situação é o seguinte: calçadas livres na Avenida Rui Barbosa e na Rua Deputado Pedro Pires Ferreira,  (onde fica a Crystal Galeria e o Jaqueira Center). Já na Rua do Futuro, a situação complica. Logo cedo, a faixa direita da via (ao  lado da calçada do Parque) é tomada por kombis, caminhonetes, ônibus quitanda. Ali se vende frutas, verduras, plantas, roupas com filtro solar, chapéus, roupas de praia, lanches.  Há quiosques fixos, para venda de revistas, frutas, água de coco.   Atrapalha o trânsito, mas o pedestre, pelo menos, anda.

Sinceramente, não vi nenhuma situação  semelhante à anterior de Casa Amarela, onde o pedestre não conseguia nem andar nas calçadas. Tinha que ir mesmo era pelo asfalto, disputando espaço com os automóveis. Como aliás, ocorria, também em  bairros como Afogados e até mesmo na orla, em Boa Viagem, onde os barraqueiros colocavam suas carroças sobre as calçadas. As motos também eram estacionadas sobre as calçadas. Com o “aperto” da Semoc (Secretaria de Mobilização e Controle Urbano), a coisa melhorou tanto na Zona Sul quanto na Norte.

Em Boa Viagem, todos os finais de semana, há viaturas e até guincho para levar carros, carroças e motos estacionados irregularmente.  Em Casa Amarela, há fiscais em caráter permanente, para evitar que os abusos voltem a se repetir e para assegurar ao pedestre o seu espaço. No Parque da Jaqueira, vi muitos ambulantes, mas ocupando o asfalto com seus veículos e mercadorias. Na calçada, mesmo, só estava esse manequim e alguns baldes com água para uso dos flanelinhas. Breve, volto a passar no local, para ver se as calçadas estão desocupadas.  Porque os leitores relatam que a área virou ” uma bagunça”.  Ambulantes sim, havia muitos. Mas é preciso ficar de olho. Caso contrário, daqui a pouco, as calçadas ficam tomadas também nas Graças. E aí… vai ficar difícil andar.

Leia também:
O belo e detonado Bairro de São José
Praça Dom Vital em petição de miséria
“La vie en rose” em Casa Amarela
Praça Dom Vital parece ninho de rato
Bairro de São José: o Haiti não é aqui

Texto e foto: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.