Parem de derrubar árvores (165)

No último dia 17, fiz uma caminhada com o grupo MeninXs na Rua entre o Parque da Jaqueira e a cidade de Olinda. E, como é de costume, fui contando as árvores decepadas que encontrava nas caminhadas pelos bairros de Jaqueira, Espinheiro, Rosarinho, Encruzilhada, Hipódromo, Campo Grande. No percurso, vi muitos “tamboretes” que ignorei, porque já haviam sido registradas anteriormente aqui no #OxeRecife, através da nossa campanha #ParemDeDerrubarÁrvores.

Na caminhada, encontrei seis novos tocos, dois dos quais abordei aqui, através do post Parem de derrubar árvores 163.  Quatro outros foram localizados nas ruas Amaro Coutinho e  Dr Enéas de  Lucena, ambas no Rosarinho. E também nas Rua Barão de Vera Cruz  e Professor Francisco Trindade (foto acima), em Campo Grande. Apenas a da Amaro Coutinho teve reposição, ao que tudo indica, feita pelos próprios moradores, já que utilizaram os pedaços do tronco da árvore sacrificada para proteger a muda da planta ali colocada, que tem mais ou menos um palmo de altura. Realmente, essa é uma situação muito triste, mas muito triste mesmo, aqui no Recife. E o aumento de temperatura está aí, para todo mundo ver e sentir.

Como o #OxeRecife faz questão de documentar, datar e colocar o endereço das vítimas de arboricídio, o leitor pode conferir abaixo:

Leia também:
Parem de derrubar árvores (164)
Parem de derrubar árvores (163)
Resistência: não ao arboricídio
Recife ganha aplicativo Arborize
Abaixo o arboricídio insano

Texto e fotos: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.