Caminhada Carnavalesca dos MeninXs

Pensem em uma turma animada. Mesmo com tanta folia acontecendo no Recife e em Olinda, o Grupo MeninXs na Rua não abre mão de seus roteiros a pé. Só que nesse domingo, o percurso entre o Parque da Jaqueira e Olinda foi feito em clima de folia, na chamada Caminhada do Frevo, uma tradição do grupo de caminhantes, quando se aproxima o período momesco.  Foram sete etapas, muito bem distribuídas em pouco mais de dez quilômetros, com as respectivas paradas em clubes que fazem a história do nosso carnaval. Dessa vez, nosso guia foi Manuel Durão.

O ponto de encontro foi o Parque da Jaqueira, de onde saímos a pé para o Clube Madeira do Rosarinho, que surgiu de uma dissidência do Clube Inocentes do Rosarinho. De lá, partimos para o Bar Calunga, em Campo Grande, onde funcionava a antiga sede do Inocentes do Rosarinho, clube carnavalesco que não mais existe. Ainda em Campo Grande, visitamos a sede do Clube das Pás, que foi fundado em 1888, embora hoje funcione em uma construção moderna. O Clube das Pás é um dos mais atuantes do Recife.

No Sítio Histórico de Olinda, a Pitombeira foi a primeira parada da Caminhada do Frevo dos MeninXs na Rua.

Para se ter uma ideia da atuação do Clube das Pás, uma informação: ele abre as portas para os amantes das danças às quintas, sextas, sábados, domingos e… segundas. Ou seja, em cinco dos sete dias da semana, com ingressos a preços populares. E não falta gente para arrastar o pé, em todos os ritmos: do frevo ao brega, do brega ao samba. Talvez seja o mais movimentado clube carnavalesco do Recife. Daí, seguimos para Olinda, cortando caminho pelo Parque Memorial Arcoverde (que só tem de parque o nome). Depois, com muito cuidado, atravessamos o bairro de Salgadinho, onde todas as galerias pluviais estavam sem tampa, com de risco grande de queda para o pedestre.  E a profundidade de cada buraco, pelo que observei  era superior a um metro e meio). Depois, passamos por Santa Tereza, com paradinha para matar a sede.

Seguimos pelo Varadouro, subimos pela Rua Quinze de Novembro e daí para a 27 de Janeiro, sede da Pitombeira, que estava em festa, como, aliás, ocorrem todos os domingos, quando se aproxima o carnaval. Só que a festa desse 17 de fevereiro tinha um motivo especial: o bloco está comemorando seus 72 anos. Daí, a  próxima parada foi na antiga sede do Elefante, nos Quatro Cantos. Depois, sede do Vassourinhas e, claro, encerramento da caminhada no Bonsucesso, onde fica a sede do maior ícone do carnaval de Olinda: o Homem da Meia Noite, que abre oficialmente a festa na cidade histórica, à meia noite do Sábado de Zé Pereira. Caminhada nota dez, tendo como brinde um conhecimento maior sobre a história do nosso carnaval, tido como o mais diversificado do Brasil. Mas como dizia Ascenso Ferreira, “ninguém é de ferro”, e a caminhada terminou com “hidratação” movida a cerveja, na Comedaria Naylê, na Rua do Amparo. É muito salutar que os grupos de caminhantes não se limitem a andar. Sempre há passeios temáticos, que nos enriquecem . Tanto com os MeninXs na Rua, com o Andarapé, o Caminhadas Culturais ou com o Caminhadas Domingueiras. Todos nos ensinam a cultivar  conhecimento e mais amor pela nossa terra.

Leia também:
Agenda do Carnaval 17 de fevereiro
Nostalgia no Pátio de São Pedro
À espera de Zé Pereira
Homem da Meia Noite sobe o Morro
Entre o sagrado e o profano, Homem da Meia Noite sobe o Morro
Prata da casa decora o Recife em 2019
Recife: Igreja, santo, orixá e carnaval
MeninXs na Rua com Abelardo da Hora 
Andarapé entre o século 16 e o 21
O “milagre” da Igreja dos Milagres
Olinda: Embarque na história de toyota

Texto:  Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: MeninXs na Rua e Letícia Lins

Compartilhe

Um comentário

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.