Será que galinha acaba a praga?

Tanajura, cupim e formiga voadora, eu já tinha visto aos montes. São nuvens desses animais, que passam em voo, anunciado que vem uma temporada chuvosa por aí. Os últimos temporais de verão, pelo menos no meu bairro, Apipucos, revelaram uma nova praga: essas lagartas da foto. Não sei se vieram com as chuvas, mas foi depois delas que apareceram. E aos montes.

Elas estão nas paredes, nas portas, nas janelas, nas calçadas, nos terraços de nossas casas. No último domingo, no seminário que funciona em um casarão antigo vizinho, a vassourada foi grande, e terminou com um saco de um litro cheio desses bichos. Sinceramente, não sei que lagarta é essa, mas desconfio que devem ser aquelas que dão origem a uma borboletinha preta, que também virou uma praga para essas bandas. O que sei é que elas parecem ter um apetite voraz com as plantas. Liguei para a Prefeitura, para saber se tem um serviço de controle de praga.

A praga de lagarta que ataca a Zona Norte não poupa nem mesmo os bancos dos automóveis, em Apipucos.

Ter, tem, segundo informou a Prefeitura. Mas geralmente para ratos, escorpiões, baratas. Muito delicado, o atendente me orientou a pedir auxílio ao Corpo de Bombeiros, pois “não temos EPs (equipamentos de proteção) para esse tipo de serviço”. Não liguei para o bombeiro. Diante de tantos serviços mais urgentes –  como incêndios, ataques de maribondo ou de abelha, afogamentos – fiquei encabulada de telefonar para pedir isso. Até porque a praga está em todo canto. Pelo menos, nesse pedaço da Zona Norte, entre a Avenida Dezessete de Agosto e o Rio Capibaribe. Será que galinha come esse bichinho, como come minhoca, barata, escorpião?  Se comer me informem, que vou comprar um bocado para soltar no quintal e no meio da rua.

Hoje encontrei uma lagarta no interior do meu carro. No sítio vizinho, o maior daqui da área e que pertence à Igreja Católica, duas árvores adultas já perderam a folhagem completa, devido ao ataque desses bichinhos. Em Sítio dos Pintos, bairro vizinho a Dois Irmãos, moradores informam que a situação também é crítica. E que  a praga apareceu, também, aos montões entre a vegetação da BR-101, no trecho entre Dois Irmãos e Avenida Recife. Deus nos acuda.

Texto e foto:
Chuva, baronesa, cupim e tanajura
Chuva de 21 dias em três horas
Com chuva e sem água na torneira

Texto e foto: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.