Servidor federal é afastado porque fez a coisa certa na proteção ambiental

São cada vez mais sombrias, as expectativas com a preservação do meio ambiente do Brasil, na gestão que se inicia. Agora mesmo, começa a ser noticiada a exoneração de Iran Normande, que chefiava com maestria área de preservação ambiental em Alagoas (ICMBio Costa dos Corais). A notícia foi inicialmente publicada pela Folha de São Paulo e confirmada hoje por funcionários da APA. E também em carta de despedida do servidor, que é concursado e estava no cargo não por indicação política, mas por meritocracia.

Agora,  pasmem, com a “coincidência”.  Há uma semana, o empresário Gilson Machado Neto foi nomeado Secretário  de Mudanças Climáticas e Florestas do Meio Ambiente, órgão transformado na reforma administrativa do governo federal em Secretaria de Ecoturismo. Em 2016 o mesmo Machado foi notificado para retirar tendas e bangalôs da areia de São Miguel dos Milagres, na APA.  As tendas e bangalôs s ão da pousada   Villas Taturé, de propriedade de Machado, que é filiado ao PSL, partido do Presidente. As tendas deveriam ser retiradas à noite, já que a regra consta do Plano de Manejo da Apa, como forma de proteger a desova de tartarugas e aves migratórias que frequentam o local.

Praia de Porto das Pedras, em Alagoas, que tem Área de Preservação Ambiental que se estende a Pernambuco.

Como não respeitou a notificação, o empresário foi multado em R$ 3.500. Machado recorreu da decisão, e o processo encontra-se em tramitação na Justiça. Mas o revide, fora  esfera judicial já chegou. E da pior forma, para a natureza e para um servidor dedicado. Na quinta, Normande foi surpreendido com seu afastamento, em ato assinado  por Adalberto Eberhard, Presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. A Apa Costa dos Corais é a maior unidade de conservação marinha costeira do Brasil, e se espalha por Pernambuco (Litoral Sul) e Alagoas. São 400 mil hectares, com extensão de 120 quilômetros em mangues e praias.

Agora, me respondam? Tem sentido um empresário que desrespeita o meio ambiente chefiar uma Secretaria de Ecoturismo? Que ecoturismo é esse, que pune servidor que defendeu o meio ambiente?  Nessa sexta, Iran divulgou uma carta para os amigos e colaboradores, na qual faz um balanço de sua exemplar gestão, à frente da APA. Entre eles,  os “mais de 300 dias de fiscalização em campo”, fato que deve incomodar quem vê o turismo ou a indústria (leia-se o caso Vale do rio Doce/ Mariana/ Brumadinho) como um bom negócio, não importa quanto predatório seja. E indústria predatória, sinceramente, é o que a gente mais vê no Brasil. E turismo predatório, idem. É só andar pelas praias, pelos parques, florestas, para se constatar esse triste realidade. E é lamentável que um servidor seja exonerado de sua função, porque fez a coisa certa. Se for sempre assim…. cadê a meritocracia apregoada como uma das promessas de campanha do Presidente que, aliás, disse em Davos que” o Brasil é o país que mais preserva o meio ambiente”. Assim, não dá. Hoje, as redes sociais começaram a publicar um manifesto, com a hastag #FicaIran, com o suporte de  nove instituições.

Leia também:
Boa Viagem ou Bocagrande?
Feliz 2019 com consciência ambiental
Plásticos viram vilões de tartarugas
Acordo na Justiça com algozes de marlim azul 
Deixem que vivam  as baleias
“Resíduos deixados no mangue são como garrote na veia”
Praia limpa e impunidade na areia
Startup faz campanha contra o lixo
Praia dos Carneiros ganha aliado contra o turismo predatório
Litoral Sul terá área de proteção marinha
Mais proteção para a APA Guadalupe
Comer lagosta ovada é não ter coração
Disciplina para barcos no Litoral Sul

Texto e fotos: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *