Fícus assassinado tem reposição

Quem não se lembra do belíssimo fícus, que ficava na esquina da Ponte Santa Isabel, entre os bairros da Boa Vista e de Santo Antônio? Era tido como uma espécie de cartão postal do Recife, e muita gente parava na esquina que fica na Rua da Aurora, só para admirar a árvore gigantesca ou tirar fotografias.  Era uma árvore exuberante, que foi erradicada em 2017, depois de ameaçar arrebentar a  mureta à margem do Rio Capibaribe.

Na época, houve muitas críticas por parte da população, que mantinha uma relação forte de afeto com a árvore,  de presença tão marcante na paisagem do Recife.   Era muita gente quase chorando, pois a árvore fazia parte da história de muitas pessoas que trabalham ou vivem no Centro. Aqui mesmo no #OxeRecife, choveram lamentações.  E elas ainda chegam hoje, quando me refiro a alguma árvore derrubada naquele trecho do Centro, como um flamboyant “erradicado” no outro lado do Capibaribe, na Rua do Sol. Quando postei o Parem de derrubar árvores (143), referindo-me ao flamboyant, as indagações e reclamações também chegaram.

Filhote de sibipiruna começa a crescer no lugar do fícus que era o queridinho do Recife, e cuja eliminação chocou o Recife.

Houve até quem perguntasse se a árvore derrubada na Rua do Sol tinha a ver com a obra de Clarice Lispector. “Será a tal árvore, a do beijo entre Macabea e Olímpio?, indaga Geórgia Alves, especialista na obra da escritora, e referindo-se a personagens do livro A Hora da Estrela. Já o fícus ficava bem pertinho da estátua de outro astro da Literatura: o poeta João Cabral de Melo Neto.  Algumas vezes, o fícus chegou a ser confundido por alguns leitores do #OxeRecife com a outra espécie. A leitora Catarina Medeiros reclamou da ausência de flamboyant  e do fícus. Ela perguntou pela árvore que “ficava  em frente à delegacia, na esquina entre a Ponte Santa Isabel e a Rua da Aurora”.

Catarina acrescentou: “Era linda, foi um verdadeiro assassinato ambiental, um absurdo”. E encerrou: “Eu super admirava ela, imagino, era centenária”. Em outra postagem nas redes sociais do #OxeRecife, ela lamenta a retirada do fícus. “Tiraram a da Rua da Aurora que era lindíssima. “Absurdo. Meu sentimento é que não é só o governo que está lascando o nosso estado, mas a Prefeitura que até então estava ruim, está indo no mesmo caminho”. Agora, um aviso: Já há outra árvore plantada no mesmo local onde ficava o antigo e querido fícus. Já é a segunda. A primeira foi uma muda de ipê roxo, de apenas um metro e meio. Os vândalos do Recife, sempre eles, acabaram com ela. O ipê foi substituído por uma sibipiruna. Agora…. quando ela atingirá a exuberância do fícus e despertará o mesmo afeto por parte dos recifenses…. aí é outra história.

Leia também:
Parem de derrubar árvores (45)
Parem de derrubar árvores (143)
Lembram do fícus da Rua da Aurora?
Palmeira imperial e fícus sem reposição
Palmeira do Marco Zero tem reposição

Texto e fotos: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.