Zona Norte: água movida a carro-pipa

Vou fazendo minha caminhada e me defronto, nessa quinta, com um grupo de manifestantes na Zona Norte do Recife. Com faixas e carro de som, protestam contra  a falta de um direito básico do cidadão: o acesso à água. Dizem que ela sumiu  no Alto Santa Isabel e Alto do Mandu, na Zona Norte do Recife. Afirmam ao #OxeRecife que há seis meses estão com torneiras secas, principalmente nas partes mais altas do bairro. Afirmam que a água, quando chega, é “um fiozinho”, assim mesmo com força suficiente só para “os córregos”, como eles chamam as partes mais baixas da região. A Compesa admite problemas, mas nega que a escassez seja tão antiga.

Os manifestantes foram pela Avenida 17 de Agosto até o Bairro de Dois Irmãos, onde há um escritório regional da empresa. A Compesa informou que  recebeu o grupo, quando foram repassadas todas as informações pertinentes a essa situação e às providências adotadas.  Mas pelo que foi colocado, a população terá que ter paciência. “A Compesa explicou que a regularização do abastecimento ocorrerá gradativamente, uma vez que o consumo deste primeiro ciclo de distribuição está alto em função dos sem água”. Informou, ainda, “que ações estão sendo desenvolvidas para integrar o Sistema Pirapama ao Sistema Alto do Céu, que somados à Bateria de Poços da Guabiraba, oferecerão melhorias no abastecimento de água dessas duas áreas”. A Compesa negou que os bairros estejam há um semestre sem água. “Os bairros têm um calendário de dois dias com água e dois dias sem”.

De acordo com a Compesa, o abastecimento de água do Alto Santa Isabel e Alto do Mandu “foi retomado no dia 16 pela manhã com reforço de distribuição de água por meio de carro-pipa para as áreas mais altas dessas localidades, iniciativa mantida para hoje (17) e que continuará amanhã (18)”.  A ação, de acordo com a empresa,  visa minimizar os efeitos provocados por falta de água decorrentes eventos, que prejudicaram os últimos ciclos de abastecimento da área.

Os eventos estariam relacionados a irregularidades climáticas. “O primeiro deles foi a redução da vazão do Sistema Produtor Integrado Alto do Céu/Tapacurá em 40% em virtude da estiagem”, justifica a Compesa. “A falta de chuvas afetou a condição de exploração dos rios Pitanga e Utinga, mananciais que alimentam o Sistema Alto do Céu”.  Mas também contribuíram problemas técnicos: ” houve um estouramento na adutora localizada próximo a Estação Elevatória (sistema de bombeamento) dos Poços da Guabiraba, sistema responsável por 30% do abastecimento do Alto Santa Isabel e Alto do Mandu. Para realizar os serviços de manutenção, considerados de natureza complexa, foi necessário paralisar o sistema por 48 horas”

Leia também:
Com chuva e sem água na torneira
Pontualidade britânica e falta d´água 
Tanta chuva e cadê a água?
Mais 19 anos sem saneamento. Pode?
Dejetos infectos no meio do caminho
Esgoto incomoda no Espinheiro

Texto e foto: Letícia Lins/ #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.