A Buscada de São Gonçalo do Amarante e o cuidado com a natureza

Uma  vez estive com um amigo de São Paulo, fotógrafo, na Buscada de São Gonçalo do Amarante. E fiquei muito constrangida, com o mau exemplo, que vinha de embarcações de todas as categorias sociais que participavam do cortejo religioso: das canoas às lanchas de luxo, todo mundo atirando seu lixo na água. Até garrafas de uísque escocês. Uma vergonha. No próximo domingo (13), a Buscada acontece outra vez, na cidade de Itapissuma, Litoral Norte de Pernambuco. Mas com uma ação ambiental, voltada para o correto destino do lixo. Ainda bem.

A ação resulta de parceria que envolve a Agência Estadual de Meio Ambiente (Cprh), a Prefeitura de Itapissuma e a Associação de Recicladores Padre Sevat. Terá, ainda, a participação de integrantes do 36º Grupo de Escoteiros Chefe Luiz Costa Silva, de voluntários do município e de agentes ambientais da Área de Proteção Ambiental de Santa Cruz.  Eles percorrerão toda a orla de Itapissuma, conscientizando a população sobre a importância da preservação do meio ambiente, especialmente do Canal de Santa Cruz, importante estoque pesqueiro e um dos mais importantes estuários de Pernambuco.

No ano passado, 180 embarcações participaram do cortejo, quando também houve esse cuidado. Tripulantes e passageiros estão no foco da ação. Já que o Plano de Manejo da APA de Santa Cruz proíbe o lançamento de lixo sólido e de líquidos sem tratamento nas águas ou mangues do Canal. Adeilton Vidal, integrante da equipe de gestão da APA, reconhece a importância da atividade para a conservação e a sustentabilidade local e o engajamento cada vez maior dos participantes do evento.A tradicional Buscada de São Gonçalo do Amarante, que este ano realiza sua 158ª edição, dura praticamente todo o dia, começando pela manhã, por volta das 9h, e culminando depois das 18h. Em 2017, a ação ambiental resultou na coleta de mais de cem quilos de latinhas e garrafas pets, recolhidos em sete big bags, cada um com capacidade de mil litros. O material foi teod encaminhado aos recicladores da associação.

Leia também:
Praia limpa e impunidade na areia
Feliz 2019 com consciência ambiental
Cadê a saúde pública? E as placas educativas?
Ecoponto: “tudo junto e misturado”
Plásticos viram vilões de tartarugas
Acordo na justiça para algozes de marlim azul 
Canal de Santa Cruz ganha aliados

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Cprh/ Divulgação

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.