“Praia Limpa” e impunidade na areia

Já está nas areias de Boa Viagem (um dos principais cartões postais do Recife), o Projeto Praia Limpa 2019, que ficará em ação de janeiro a maio deste ano. O objetivo é promover educação ambiental entre banhistas, turistas e comerciantes. Leia-se barraqueiros. Estes realmente precisam de atenção, pois não são poucos os que ao invés de armazenar lixo em depósitos, jogam todo tipo de detrito na areia, na faixa que fica entre as carroças e o calçadão. É uma nojeira, digna de espantar qualquer turista. Um absurdo.

O que me chama a atenção é que nas calçadas da orla, não há mais abuso. Há sempre viaturas da Semoc (com guincho inclusive) para evitar ocupação indevida dos passeios públicos. Fico me indagando porque não há uma ação conjunta e permanente da Semoc (Secretaria de Mobilização e Controle Urbano), Emlurb e Secretaria da Saúde para punir os porcalhões, com notificação, multa e cassação de licença para os infratores. Tenho certeza que assim, doendo no bolso, os ambulantes que emporcalham impunemente a praia, logo tomariam jeito. Nos locais onde o lixo é indevidamente depositado, tem sempre gente jogando mais: ostras, espinhas de peixe, restos de farinha.

Prefeitura precisa cuidar da praia, como vem atuando nas calçadas da Orla: coibir lixo na areia é preciso em Boa Viagem

Infelizmente, o poder público se omite em relação a esses abusos. E já que é assim, bem que o Praia Limpa poderia dar uma forcinha, usando seus monitores para fazer a cabeça de ambulantes que não zelam pela limpeza daquele que é um dos principais ativos turísticos do Recife.  Quando reclamo, a resposta dos ambulantes é sempre a mesma: “A Prefeitura vem buscar” ( o lixo). Ou seja, o poder público sabe do problema, mas não age para coibi-lo, limitando-se a recolher, depois da bagaceira já feita. O Prefeito Geraldo Júlio (PSB) até esteve no lançamento da nova edição do Projeto, que é realizado pela TV Globo em Pernambuco. Bem que ele poderia ter dado uma caminhada na praia, para ver a quantas anda a falta de zelo pelo meio ambiente na localidade.

Quem sabe o Prefeito evitaria, assim, que o poder público fosse tão omisso em relação ao assunto lixo na areia? Em 2019, O Praia Limpa dobrou o número de monitores, de 40 para 80. E esse ano as sacolas de plástico ( vilão do mar no século 21) foram aposentadas. E substituídas por de papel, com material 100 por cento reciclável. Até o final da temporada, pelo menos 850 mil sacolas serão distribuídas. E também 50 mil  canudos de papel, já que os de plástico estão matando a fauna marinha. Além disso, 37 mil lixeiras serão instaladas ao longo da orla no período. Tudo fruto de parceria com a Klabin (especialista em embalagens) com a TV Globo. Vamos torcer, agora, para que as lixeiras de papel sejam realmente recolhidas na praia, e não deixadas na areia, como acontece com muitos banhistas com a conivência de ambulantes.

Leia também:
Boa Viagem ou Bocagrande?
Praia Limpa em Boa Viagem e Pina
Virada do ano emporcalha Boa Viagem
Feliz 2019 com consciência ambiental
Semoc garante ordem em Boa Viagem
Boa Viagem precisa de cuidado
Boa Viagem precisa de maior fiscalização
Boa Viagem é local de estresse?

Texto e fotos: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.