As inviáveis calçadas da Av. Norte

Realmente, não dá para entender. Caminhei hoje como, aliás, faço todas as manhãs. Só que, a cada dia, sigo por um diferente caminho. E hoje escolhi andar pelo meu bairro (Apipucos) e pela  Macaxeira (que é vizinho ao meu). Comecei passando Rua Coronel Rego Barros, passei pelo Açude de Apipucos, dei voltas no Parque Urbano da Macaxeira e, por fim, fui andando pela Avenida Norte até a BR 101, por cujo acostamento pretendia ir até a esquina com a Rua Dois Irmãos e retornar pela Rua Apipucos, em direção à Avenida Dezessete de Agosto.

Não deu para fazer o roteiro planejado. Motivo: calçadas totalmente inviabilizadas de se andar. Em alguns trechos, não há nem mesmo como passar. Em outros, as pessoas andam pela rua, porque a vegetação de terrenos desocupados se espalhou de tal forma que chega perto do meio fio, sobrando espaço zero para o pedestre. A maior extensão é formada de trechos apenas de areia. Em outros, há obstáculos como gelos baianos, postes um junto do outro, desníveis e inclinações exageradas, e por aí vai. Resultado: respeito ao pedestre que é bom, nada. E mobilidade, que é um direito do cidadão, totalmente atrapalhada.

Se qualquer pedestre tem dificuldade de se locomover nessa calçada, imaginem uma pessoa com deficiência ou cadeirante.

O pior pedaço, mesmo, é o que fica entre o Parque Urbano da Macaxeira e a esquina da Avenida Norte com a BR 101. Não servem nem a quem anda sem problemas. E muito menos a pessoas idosas,  com mobilidade reduzida ou cadeirantes. Pior: vai ficar tudo como está, porque segundo a Emlurb me informou, “quanto às obras de requalificação de passeios da Avenida Norte, as intervenções já foram concluídas”. Em nota ao #OxeRecife acrescenta a Emlurb: “Por enquanto, não há intervenções programadas para o trecho entre o Parque e a Br 101”. Ou seja, fica tudo como está.

Essa decisão é, no mínimo, estranha. O trecho esquecido é formado, em sua grande maioria, de pessoas que usam o transporte público para locomoção e que utilizam, inclusive, o terminal integrado que fica no bairro da Macaxeira, e que precisam de calçadas para lá chegar.  Ou seja, a qualificação ocorreu em partes, por critérios difíceis de explicar.  Os trechos beneficiados foram os seguintes: Esquina com a Avenida João de Barros (Encruzilhada), entre as Rua Cecília Reis e Monte Horebe (Alto José do Pinho), e entre as ruas Bugari e Adalberto Guerra ( também no Alto José Pinho). E  ainda: Esquina da Praça do Trabalho (Casa Amarela),  Largo Dom Luiz (Morro da Conceição / Vasco da Gama), Rua Pedro Allain (Casa Amarela). Também: ruas Iguapé, José Américo de Almeida e Cel. João Batista do Rêgo Barros (Macaxeira). Por enquanto, o pedestre vai ter que se virar, para conseguir andar em outros locais daquela que é uma das mais movimentadas vias do Recife.

Leia também:
O canteiro da discórdia na Avenida Norte
Av Norte: do velho verde à aridez total
Av Norte: reforma só atinge doze por cento das calçadas
Calçadas melhoram na Av Norte, mas…
Obras: população quer ser ouvida

Texto e foto: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *