População não quer árvores decepadas no Jardim do Baobá, nas Graças

Rendeu polêmica, aqui no #OxeRecife, postagem que fiz sobre a área ampliada do Jardim do Baobá, no bairro das Graças. É que embora o espaço público já tenha se transformado em um das mais queridos ao ar livre do Recife, há críticas quanto novo terreno  agregado ao Jardim, no qual faltam árvores. E onde os elementos decorativos ou destinados aos frequentadores não passam de troncos guilhotinados. Realmente, a nova área do Jardim ficou parecendo mais um cemitério de árvores decepadas, o que é uma tristeza. E também não combina com o espírito verde e lúdico do espaço.

Os leitores reagiram às observações do #OxeRecife. Thelma Siqueira Linhares afirma que a iniciativa da Prefeitura em ocupar o Jardim do Baobá com tocos de árvores é, “no mínimo, de muito mau gosto”., no que concordo. E indaga: “Como usar, em um jardim/ praça, equipamentos restos/ tocos de árvores que um dia foram vida?” Ângela Almeida desabafou: “Não acredito no que estou vendo, arboricídio cruel”. Helena Amaral também ficou espantada, ao ver a foto do Jardim do Baobá, decorado com pedaços de troncos de árvores. “Não acredito! Gente!” Para Deivson Trajano, a cena “é horrível e de mau gosto”.

Lindos, o baobá e seu Jardim, nas Graças, precisam de áreas floridas e não de um canteiro com árvores decepadas.

Antônio Augusto Castelo Branco lembra que os tocos, na verdade, formam “um relógio solar” (embora poucas pessoas saibam disso e, se for o caso, um relógio bastante confuso). Afirma que o relógio foi montado com partes de troncos de árvores removidas com “a devida compensação ambiental”. Onde?, perguntamos nós, do #OxeRecife. Para outro leitor, Alfan Carvalho, reclamar dos tocos utilizados como equipamentos urbanos (no lugar de bancos de praça, mesinhas) é chover no molhado. O #OxeRecife, no entanto, denuncia sistematicamente a situação da arborização da nossa cidade, através da campanha Parem de derrubar árvores.

“Boa parte da estrutura da Praça é de madeira”, diz ele. E recomenda: “Para quem não sabe, madeira se obtém de “árvores decepadas. Então, se for reclamar por esse motivo, reclame de todos os equipamentos de madeira”. Em seguida, acrescenta: “Agora, se o problema for outro, como a origem da madeira, a ausência de acabamentos ou a ausência de plantios nesse novo espaço, então eu poderia achar a crítica minimamente sensata”. A Prefeitura não se pronunciou sobre a nova área. Mas faltam sim, árvores na nova área, bancos confortáveis para os frequentadores, mesinhas para lanche ou partidas de damas e xadrez e, sobretudo, vida. Sem sinais desta, fica faltando alguma coisa, quando a área é uma praça ou um jardim. Sem verde? Nem pensar.

Leia também:
Baobá, o jardim de árvores decepadas
Jardim do Baobá ganha ampliação
Jardim do Baobá ganha reforma
Jardim do Baobá está detonado
Falta respeito ao Jardim do Baobá 
Os “barrados” no Jardim do Baobá

Texto e fotos: Letícia Lins/ #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *