Lição de história sobre ditadura de 1964 no Olha! Recife

O Projeto Olha! Recife oferece mais uma edição do Curiocidades nesta semana, dessa vez em homenagem ao Mês da Consciência Negra, que contará com a participação de atores, para relatar a presença de personagens, influência e herança da cultura afro no Recife. O Curiocidades traz roteiro que aborda o local de um antigo mercado de escravos na cidade, a memória de Naná Vasconcelos no Marco Zero, Dona Santa, Badia, Zumbi, Solano Trindade e o baobá da Praça da República, que servirá de cenário para uma das cenas do roteiro espetáculo.

Além desse roteiro há três outras opções do passeio gratuito, um dos quais é bem interessante para as novas gerações, já que aborda locais e histórias que marcaram o período da ditadura militar implantada no Brasil, a partir de 1964, e que teve presença marcante no Recife. Isso porque algumas lideranças políticas da época – como Miguel Arraes e Francisco Julião – estavam entre as mais visadas pelos militares que deram o golpe e acabaram com o regime democrático de então, por uma longa noite de mais de duas décadas (1964-1985).

Faculdade de Direito do Recife está no passeio do Olha! Recife sobre a ditadura de 1964: memória histórica

Nesse caso, a pé, o Olha! Recife percorrerá alguns dos locais que lembram episódios da ditadura de 1964. No trajeto estão, a Avenida Dantas Barreto, onde os estudantes Jonas Albuquerque e Ivan Rocha foram assassinados em um protesto. Também está incluído, o Palácio do Campo das Princesas (foto), de onde foi deposto Miguel Arraes, então governador de Pernambuco eleito democraticamente. Os participantes passarão, ainda, pela antiga Casa de Detenção, Faculdade de Direito, Assembleia Legislativa. O passeio será encerrado no monumento Tortura Nunca Mais. Achei essa iniciativa muito interessante, até porque o Presidente eleito não reconhece a realidade histórica e afirma que nunca houve ditadura no Brasil.

E faz até medo que esse obscuro período de nossa história volte a ser contado de outra forma nos livros didáticos, como ocorria em tempos das famigeradas aulas de “Moral e Cívica”. E preservar a nossa memória é um ato de cidadania. Ainda tem um roteiro pelo Rio Capibaribe, passando pelo encontro do rio com o mar, pela Cruz do Patrão, manguezais da Rua da Aurora, o farol do Porto e construções antigas, à beira do Capibaribe (entre elas o Ginásio Pernambucano, o Palácio Joaquim Nabuco e ainda a Igreja Madre de Deus. Outro assunto do Olha! Recife é  o surgimento do movimento modernista , quando surgiram algumas das primeiras edificações erguidas por aqui, especialmente no centro da cidade como, o prédio da Secretaria da Fazenda, o edifício Independência, Igarassu, Bancipe, Edifício Santo Antônio e Bandepe. Todos os passeios são gratuitos, e as inscrições abrem na próxima sexta (23), às 9h, pelo site: www.olharecife.com.br. Veja, no serviço abaixo, o dia, horário e ponto de encontro de cada excursão. E escolha o passeio que mais lhe interessa

Leia também:
CurioCidades do Recife no sábado
Olha! Recife: frevo e Rio Capibaribe
Minha tarde no Olha! Recife
Minha tarde no Olha! Recife (1)
Sugestão para o Olha! Recife

Serviço:
Olha!Recife no Rio (Sábado)
Volta à Ilha
Dia: 24/11
Hora: 9h
Saída: Píer do restaurante Catamaran, no bairro de São José.

Olha!Recife a pé (Sábado)
Curiocidades: Tambores, loas e tabuleiros
Dia: 24/11
Hora: 18h
Saída: Praça do Arsenal

Olha!Recife a pé (Domingo)
Modernismo no Recife
Dia: 25/11
Hora: 9h
Saída: Praça do Arsenal

Olha!Recife a pé (Quarta-feira)
Recife na Ditadura
Dia: 28/11
Hora: 14h
Saída: Praça do Arsenal

Texto e fotos: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *