Paço do Frevo tem gestão temporária e equipe reduzida à metade no Recife

De tempos em tempos, a crise se repete. Um dos mais queridos equipamentos culturais do Recife, o Paço do Frevo sofre ameaça de fechar as portas, por conta do final de contrato com o Instituto de Desenvolvimento e Gestão (IDG), que gerencia o museu de forma brilhante e dinâmica. O IDG, aliás, é a mesma entidade responsável pelo Museu do Amanhã, do Rio de Janeiro. Em 2015, foi assim. O contrato venceu, a Prefeitura não providenciou a tempo os trâmites burocráticos e o Paço quase fecha as portas, o que seria um horror.

Em 2018, o problema acontece outra vez.  O contrato expirou, o IDG venceu o edital para continuar à frente do Paço por mais dois anos (podendo prorrogar por mais três),  mas o município não cuidou da papelada em tempo hábil, sem repasse de recursos no tempo devido. O IDG demitiu os 41 funcionários que cuidam do Museu, e a  permanência da organização social à frente do Paço ainda é incerta, o que é uma pena, devido ao excelente trabalho ali desenvolvido pela equipe.

O Paço do Frevo é espaço de salvaguarda de uma das mais representativas manifestações culturais da cidade, a música contagiante do frevo e sua coreografia (o passo). Mas desde a sua inauguração a gestão é feita pelo IDG, com recursos do município. A Prefeitura garante, no entanto, que o museu não será fechado e que ficará até o mês de dezembro com administração temporária, feita pelo próprio município.

Ou seja, “em regime de funcionamento especial, devido à transição entre contratos de gestão assinados entre a administração municipal e a Organização Social Instituto de Desenvolvimento e Gestão (IDG), para manutenção e oferta regular dos serviços e programações do Paço”, conforme a própria PCR. A equipe montada pela Prefeitura do Recife para atuar no equipamento durante este período de transição é formada por 20 pessoas, metade da atual.  Elas assumirão serviços limpeza, segurança, serviços e atendimento ao público. Se for só para isso, com certeza o Paço do Frevo vai ficar prejudicado na sua programação cultural, que envolve aulas de dança, apresentações de frevo na rua às sextas, além de outras iniciativas que fazem do Paço um museu diferente dos demais.  O Paço fica na Rua da Guia, S/N, Bairro do Recife.

Leia também:
Paço do Frevo: 500 mil visitantes
Paço do Frevo debate presente e futuro
“Elefante” no Paço do Frevo em janeiro
Paço do Frevo gratuito no fim do ano
Blocos líricos vão às ruas domingo

Texto: Letícia Lins/ #OxeRecife
Foto: Andrea Rego Barros/ Divulgação/ PCR

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.