Parem de derrubar árvores (137)

Em um domingo desses, acompanhando uma caminhada com o Grupo MeninXs na Rua, me defrontei com quatro tocos em uma via só. Ou seja, troncos de quatro árvores degoladas em locais bem próximos. Estão todos na Rua Anauro Dornelas Câmara, no bairro da Macaxeira.

O irônico é que a Anauro fica à margem do Açude de Apipucos, em uma área que pode ser considerada como uma das mais verdes do Recife, e na qual ainda resta um bom fragmento de Mata Atlântica. E o verde é tão presente, que não sentimos calor ao andarmos pela artéria sem saída, e na qual há até mamoeiros brotando, em plena calçada, ao lado de um riacho.

Mesmo assim, as chagas da motosserra insana e as imagens do arboricídio também estão ali presentes. Como vocês podem observar nas fotos que fiz, durante uma caminhada entre o Jardim do Baobá e o Parque Estadual de Dois Irmãos,  na qual percorremos o lado “verde” do Recife, inclusive andando pelas margens do Rio Capibaribe, pelo Parque de Santana e por bairros ainda considerados bucólicos, como Poço da Panela, Apipucos e Dois Irmãos. Com os quatro da Anauro Dornelas Câmara, os registros de árvores decepadas em vias públicas chega a 231, só aqui no #OxeRecife. Imaginem, então, quantas são na cidade inteira. Vejam as vítimas do arboricídio, na Macaxeira.

Leia também:
Parem de derrubar árvores
Mangueira padece: “furadeira e veneno”
 A rota verde dos MeninXs na Rua
O estrago do bambu na Mata Atlântica 

Texto e fotos: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *