Morros começam a ganhar hortas

Depois das mudanças na paisagem nos altos de pelo menos seis bairros do Recife – com introdução de cores, parklets, pequenas praças e áreas de convivência – o Projeto Mais Vida nos Morros entra em uma segunda etapa que pode render dupla vantagem para as famílias já beneficiadas: a redução de lixo no ambiente e a produção de alimentos. É que eles vêm apreendendo a produzir adubo orgânico, para implantação de hortas urbanas.

Nesta semana, mais uma oficina de compostagem e implantação de minhocário doméstico foi concluída. Dessa vez, instrutores da Secretaria Executiva de Inovação Urbana do Recife levaram a tecnologia para produção de biofertilizantes a moradores do bairro do Vasco da Gama, que fica na Zona Norte do Recife. O número de famílias que participaram da oficina, no entanto, é pequeno: quinze. Mesmo assim,  já é um bom começo. Nada como ter as hortaliças no quintal de casa ou no ambiente comunitário, para consumo próprio. Comer coentro, alface, cebolinha, tudo fresquinho e sem veneno é bom demais.

Os moradores receberam informações sobre instalação dos minhocários domésticos, sobre manutenção do equipamento e produção de adubo orgânico. Todo os subprodutos resultantes da compostagem de sobras de frutas e verduras podem ser utilizados na adubação de hortas e jardins residenciais ou comunitários. Com isso, evita-se desperdício e evita-se maior quantidade de lixo na rua. A produção de compostagem é uma técnica que consiste em tratar os resíduos orgânicos gerados nas residências de forma adequada, gerando subprodutos como terra adubada e biofertilizantes. Esse procedimento transforma uma parte do lixo doméstico em nutrientes para utilização em jardins e quintais. Cada família participante recebeu um kit, composto por um minhocário reciclado, colônias de minhocas e caixas em madeira para o plantio de mudas de  hortaliças, que depois podem ir para o solo.

A dona de casa Maria José Marques, uma das inscritas na Oficina, afirmou que vai colocar em prática o que aprendeu nas instruções. “Eu tenho um quintal grande, com flores e plantas comestíveis. Esse adubo vai me ajudar a manter esse pequeno pomar que tenho em casa”.  O Mais Vida nos Morros começou em 2016, e segundo a Prefeitura, “busca despertar uma mudança de comportamento em relação às questões urbanas e ambientais”. Até o momento, beneficiou cerca de 1.700 famílias no Alto do Maracanã, Córrego do Jenipapo, Mangabeira/Alto José do Pinho, Três Carneiros/Ibura, Morro da Conceição e Sitio dos Pintos.  As hortas estão em sete comunidades, mas é no Vasco da Gama e no Morro da  Conceição onde estão em situação mais avançada.

Leia também:
A paisagem colorida do Alto do Jenipapo
Santuário se veste de azul e branco
Parkelet popular na Estrada do Arraial
Nova fase para o Mais Vida nos Morros
Novas cores dão vida à Mangabeira 
O exemplo do Morro da Conceição 

Texto: Letícia Lins/ #OxeRecife
Foto: Letícia Lins e Divulgação? PCR                                                                                                                                                                          

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *