Rua “privatizada” em Casa Forte

No Recife, realmente, há certas coisas que não se consegue entender. É como se a cidade fosse o que chamam na gíria de “Casa de Mãe Joana”. E o exemplo mais recente está em um bairro nobre, Casa Forte. Moradores da Rua Jacó Velosino denunciaram ao #OxeRecife que uma das esquinas daquela via foi “privatizada”. Onde havia um jardinzinho – frequentado por idosos e crianças pela manhã e ao final da tarde – agora tem um cercado, com “estacionamento” para bicicletas. Claro, as bikes precisam de áreas seguras para se estacionar, mas não é fechando espaço público que se faz isso.

Passo ali diariamente, pois gosto da Jacó Velosino, porque tem calçadas organizadas, arborizadas e jardinadas. E tinha essa pequena área verde em uma das extremidades da via, exatamente do lado que a rua não tem saída. “Infelizmente o espaço público foi fechado e coberto, prejudicando principalmente pessoas idosas que não costumar andar até a Praça”, diz um morador, cujos filhos gostavam de jogar bola de gude no local. As crianças sobretudo, são as mais prejudicadas, pois perderam um espaço verde para brincar, bem pertinho de casa.

A rua tem cerca de 30 imóveis, sendo cinco edifícios residenciais e um empresarial. Os 24 restantes são casas, mas umas dez são pontos comerciais. Ou seja, a maioria da criançada mora em apartamento e precisa de espaço para brincar. Informam antigos moradores que os planos iniciais eram que a Jacó Velosino se estendesse até a Rua Edson Álvares para desafogar a Anunciada de Morais, que dá para a Praça de Casa Forte e, em consequência, para a Estrada do Encanamento. Isso porque a Jacó Velosino é a primeira opção à esquerda para chegar à  Praça, para quem vem pela Avenida Dezessete de Agosto, no sentido subúrbio centro.  A  Edson Álvares é aquela que faz esquina com a Jerônimo de Albuquerque, onde fica a Padaria Delícias da Praça.

A Jacó Velosino foi fechada por um muro há tempo e, desde então, é uma rua sem saída. No Google Maps ainda é possível se observar  a esquina fechada por um muro. Com o estranho “estacionamento”  vai ficar mais difícil abri-la, conforme é o desejo de muita gente que circula pelo bairro e tem problema de engarrafamento, quando quer chegar à Praça, pela Maria Anunciada. Mas a faixa onde deveria funcionar extensão da Jacó Velosino permanece ociosa até hoje, entre muros de imóveis vizinhos, chegando a ser usada não como rua, mas como estacionamento de automóveis de condomínios próximos e de um hospital. Agora, a situação ficou ainda pior. Porque nem a via foi completada nem os moradores podem usar a área verde em que a esquina fechada havia se transformado. Pessoas que vão ao trabalho de bicicleta para a Praça de Casa Forte, informam que o “bicicletário” está sempre fechado pois serviria apenas para os trabalhadores de um condomínio vizinho. Mas um deles me informou que bem cedo o local é muito deserto e que não usa o “estacionamento” porque teme assaltos.

Entenda o caso olhando a galeria de fotos:

 

Leia mais:
Que saudade da Rua Nova
Pedestre sem vez na Avenida Recife
Requalificação da Avenida Recife inclui retirada de gelos baianos das calçadas?
Praça Dom Vital parece ninho de rato
“Quando o gato sai, o rato faz a festa” 

Texto e fotos: Letícia Lins/ #OxeRecife

Compartilhe

Um comentário

  1. Parabéns pela reportagem, Letícia. Moradores da vizinhança agradecem! Esperamos que a Prefeitura da Cidade do Recife tome providências e ponha abaixo essa estrutura horrenda e também multe o Hapvida por ter aberto um pedaço do muro do que seria a continuação da Rua Jacó Velosino para usar como estacionamento.

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *