Cadê a punição dos “tubarões” que também devastam a Mata do Frio?

É cada dia pior, a situação dos remanescentes de Mata Atlântica, no município de Paulista, na Região Metropolitana do Recife, onde é visível a devastação de áreas até recentemente verdes, como as matas do Frio e do Janga. Tenho recebido denúncias frequentes de ações irregulares, inclusive em unidades de conservação. O #OxeRecife já esteve três vezes na cidade, sempre a serviço da comunidade e da natureza. E a cada vez, a situação está pior. Pior não, péssima. Pois ali já vi até “mata” de cimento.

Nesta semana, houve uma operação conjunta para evitar que o estrago fique maior no Parque Municipal Mata do Frio, Unidade de Conservação de 44 hectares, mas que vem perdendo terreno para ocupações irregulares e para a especulação imobiliária. A Agência Estadual do Meio Ambiente (Cprh), a Delegacia de Polícia do Meio Ambiente (Depoma), Cipoma (Companhia Independente de Policiamento do Meio Ambiente) e a própria Prefeitura destruíram equipamentos utilizados para  demarcação ilegal de lotes. Entre os materiais destruídos encontram-se cocheiras, portões, estrutura para a construção de barracos. A área da operação, ocupada sem amparo legal, chega a 10 hectares. Após anos de omissão, parece que a própria Prefeitura de Paulista começa a perceber o tamanho do estrago, inclusive já denunciado aqui no #OxeRecife várias vezes.

Órgãos oficiais precisam combater não só os “peixinhos” como também “tubarões” que  devastam matas de Paulista

Na operação, foram apreendidas ferramentas e assinados cinco termos de demolição. Os responsáveis têm quinze dias para “limpar” a área, segundo a Cprh. Quatro pessoas identificadas terão que prestar esclarecimentos na Delegacia de Polícia do Meio Ambiente (Depoma) e devem responder por crime ambiental devido ao corte ilegal de vegetação nativa de Mata Atlântica. A operação contou com 30 pessoas, sete veículos e um trator.  A UC municipal foi criada em 2015. Mas nos últimos três anos, ao invés de melhorar, sua situação piorou drasticamente. Por ser região de Mata Atlântica, importante para a biodiversidade, a área contará com reforço no combate ao desmatamento,devendo coibir novas tentativas de invasões.

Serão realizadas fiscalização constantes na área, em conjunto ou isoladamente, e, em caso de flagrantes, os responsáveis responderão por crime ambiental. Denúncias podem ser feitas à Cipoma (3181-1700), à Prefeitura (3433-1211) ou à Ouvidoria Ambiental da CPRH (3182-8923).  Isso é bom. Mas pelo que se percebe, só os peixinhos no mar de desmatamento que virou Paulista estão respondendo pelos crimes ambientais. É preciso, agora, combater os tubarões, já que enquanto os peixinhos desmatam com a foice e a enxada, os tubarões chegam com máquinas potentes, motosserras, retroescavadeiras, tratores, e “plantam” concreto no lugar da mata.

Leia também:
Devastação gera embargos em Paulista
As “matas” de cimento em Paulista
Matas estão sumindo em Paulista
Mais matas devastadas em Paulista
Verde em risco em Paulista
Mata destruída vira trabalho escolar

Texto: Letícia Lins / OxeRecife
Fotos: Letícia Lins e Cprh/ Divulgação

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.