Prefeito destrói mata e pede acordo

Depois de bater pé, desrespeitar as leis ambientais e desafiar uma interdição oficial suspendendo desmatamento em área de proteção permanente – o que rendeu multas contra a Prefeitura e o contra o próprio Prefeito, Demóstenes Meira – autoridades de Camaragibe procuraram a Agência Estadual do Meio Ambiente (Cprh) para propor um acordo com o órgão estadual. Querem compensar os danos ambientais provocados pela gestão municipal devido à abertura de estrada em terras do Parque Municipal Aldeia dos Camarás, naquele município.

A confusão começou na última quarta-feira, porque a Prefeitura resolveu abrir uma estrada em área de Mata Atlântica sem, sequer, pedir licença ambiental. O desmatamento ocorreu na região da APA Aldeia Beberibe, que é uma espécie de pulmão da Região Metropolitana. A área também abriga nascentes. Durante o embargo da Cprh, o  Prefeito resolveu desrespeitar a interdição e ordenou aos operários que avançassem com tratores e máquinas no desmatamento, para viabilizar a construção da estrada, que ligaria  a PE- 27 à comunidade do Cajá. Quase uma semana após a confusão, o Procurador da Prefeitura de Camaragibe, Daniel Meira, procurou a Cprh para pedir desculpa formal à Agência pelo impasse.

E sugeriu que fosse assinado um Termo de Compromisso, através do qual a Prefeitura faria compensação ambiental pelo prejuízo. A proposta será apresentada até o final desse mês, já na documentação de defesa em primeira instância a ser apresentada pela Prefeitura. A reunião sobre o assunto foi na terça-feira (16), na sede da Cprh. Por conta da confusão, dois embargos foram lavrados, máquinas foram apreendidas e a questão chegou na polícia. Também foram aplicadas multas no valor total superior a R$ 72 mil, dos quais foram R$ 34 mil contra o próprio Demóstenes.  A Cprh sugeriu a que Prefeitura apresente uma outra alternativa de construção de estrada que não cause impacto à área de preservação permanente. Cerca de 1.830 metros quadrados da mata já haviam sido destruídos. No local, vinha sendo implantado um viveiro de mudas nativas da Mata Atlântica, que será o primeiro de Pernambuco  com capacidade para produzir 100 mil mudas. A APA Aldeia-Beberibe possui 31 mil hectares e se estende por oito municípios do Grande Recife, incluindo a Capital e Camaragibe.

Leia também:
Prefeitura destrói área protegida… Pode?
Primeiro corredor ecológico vem aí
Novos desmatamentos em Aldeia
Matas estão sumindo em Paulista
As “matas” de cimento de Paulista
Devastação gera embargos em Paulista
Desmatamento em “pulmão” do Recife
Devastação na Mata Atlântica

Texto: Letícia Lins/ #OxeRecife
Foto: Cprh/ Divulgação

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *