Arborização solidária em Casa Amarela

A população de Casa Amarela volta  a ocupar as ruas no domingo, para arborizar  cinco áreas do bairro, incluindo a margem do Canal que passa na Avenida José dos Anjos, que tem um trecho precisando de calçamento, sinalização, arborização e outros equipamentos urbanos. Recentemente moradores daquela via colocaram faixas pretas na fachada dos edifícios, pedindo socorro. A mobilização será na Horta Comunitária de Casa Amarela,  implantada pela comunidade, entre a José dos Anjos e a Professor Souto Maior. No polígono, em forma  triangular,  deveria haver uma praça, de acordo com planos oficiais, porém jamais executados.

Em 2015, cansados de esperar, moradores do bairro ocuparam o local, fizeram plantios e  passaram a cuidar do terreno, que estava virando ponto de descarte irregular de lixo. A mobilização terminou motivando a criação do Instituto Casa Amarela Saudável e Sustentável (Icass), com o objetivo de defender os interesses do bairro, criar projetos e apresentar a órgãos oficiais,  captar recursos e lutar por parcerias, tanto com o setor público quanto com o privado. Para a ação de hoje, os moradores conseguiram parcerias de pessoas físicas e também da Prefeitura. O engenheiro agrônomo Augusto Neto, por exemplo, vai orientar e ajudar no plantio. O nome da ação é Arborização Solidária.

Arborização Solidária vai ter Feira Livre do Poço, maracatu, forró, comidinhas, sarau  e Projeto Livro de Coração (foto)

“A mão de obra será nossa, e os insumos  (plantas, terra, estrumo) foram doados pela Prefeitura”, informam, no projeto encaminhado ao poder público.  Nas cinco localidades, serão plantadas dez árvores de pequeno porte, cem espadas de São Jorge, 20 dracenas, 20 pleomeles, 20 pés de pau d´agua e um saco de jiboia. O objetivo dos moradores é aumentar a conscientização ambiental no bairro, impedir descarte irregular de lixo, colaborar com o aumento da segurança e melhorar o clima com novas plantas.Tanto os moradores quanto o Icass defendem que com ruas arborizadas e atrativas, haverá mais gente circulando pelo bairro, o que espontaneamente contribui para o aumento da segurança.

Mas o plantio não é a única atividade desse domingo.  A arborização solidária vai virar festa. A programação está bem movimentada, e acontecerá na própria horta comunitária. A animação começa às 9h30, com café da manhã. Das nove ao meio dia, vai haver o mutirão solidário das plantas. Das 10h às 13h, o Maracatu Boi Munganga vai animar a galera com seus batuqueiros. A Feira Livre do Poço  estará no local das 10h às 19h. Das 11h às 18h, haverá exposição do Projeto Um Livro de Coração, da Fundação Joaquim Nabuco, no qual as pessoas podem  pegar gratuitamente livros da Editora Massangana. Também pode levar algum para doar e retirar volumes de outras editoras, que tenham sido deixados no local para trocas eventuais. Na última festa da Horta Comunitária de Casa Amarela, peguei para mim Enterrem meu coração na curva do rio. Às 15h30m tem sarau literário com a poetisa e militante feminista Cida Pedrosa. E às 16h30m, a festa se encerra com o Forró Chão Pisado. Muito bacana, não é não? Meu bairro, Apipucos, tem muito a aprender com Casa Amarela.

Leia também:
Horta urbana sai com Bloco Carnahorta
“Isso não é um assalto, é horta no asfalto” 
Casa Amarela em campanha pela horta
Casa Amarela cada vez mais cidadã
Sementes que brotam na Zona Norte
Horta urbana: três anos com festa
Exemplo para o poder público
Casa Amarela pede socorro

Texto e fotos: Letícia Lins/ #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *