Campanha “Vizinho legal” está nas ruas

Duas meninas gente boa. E quem são? Adriana Sérvula (professora de educação física) e Natally Fritz (engenheira). Mães de bebês, elas passeiam quase todos os dias com suas crianças. E ficam impressionadas com a quantidade de cocô de caninos nas calçadas do bairro de Poço da Panela, por onde costumam andar a pé com as crianças. Uma vez, o filho de Adriana, Luan (um ano), chegou a pegar em um “carimbo”. A meladeira só não foi maior, porque a mãe afastou o bebê da sujeira a tempo. “Ele ainda chegou a ficar com os dedos melados”. Cansadas de lidar com a porcaria, as duas tomaram uma atitude: começaram  a campanha Vizinho Legal. O objetivo: conscientizar os donos dos totós da importância de manter limpas as ruas daquel bairro da Zona Norte.

Os resultados já começaram a aparecer. Em três dias de campanha Vizinho Legal,  elas notaram uma redução de 80 por cento  na quantidade de dejetos deixados nas ruas por caninos. Ou melhor, pelos donos dos totós, que não recolhem os dejetos dos seus animais. “Vizinho legal recolhe as fezes do seu animal”, afirmam cartazes colocados em postes, árvores, muros e nos elevadores de todos os condomínios do Poço da Panela.  Também distribuem panfletos, em que acrescentam mais conselhos à ilustração utilizada nos cartazes do Vizinho legal. “Importante, não esqueça de embalar e jogar no lixo”, apelam. Isso porque muita gente leva a sacola, mas deixa o cocô embalado no meio da rua, ou acumulados junto a postes. ” A gente já viu até pessoas conversando sobre a campanha, com os panfletos no meio da rua”, comentam. “Achamos que elas estão, finalmente, se tocando sobre o assunto”.

Adriana e Natally deflagraram a campanha “Vizinho Legal”, em defesa de ruas e calçadas limpas .

As meninas  também relatam, em folhetos: “Hoje vim te contar, como estão nossas calçadas. Elas estão cheias de cocô, elas estão todas meladas”. E acrescentam: “Andar a pé por elas, está cada dia mais difícil, Aqui no Poço da Panela, o cocô é bem visível”. Em seguida, apelam para a educação dos moradores do bairro, proprietários de cães: “Mas se você quer mostrar a boa educação, nos ajude nessa missão, seja um bom cidadão, e recolha o cocô do seu cão”. E solicitam, também, que os donos dos totós se esforcem para conscientizar os cuidadores dos animais, que também não têm mostrado muito empenho no exercício da cidadania. “Mas se não é você que passeia com ele, repasse essa informação”.

Quando estão nas ruas, as garotas entregam sacolas plásticas aos donos dos totós, que caminham com seus pets sem mostrar esse tipo de cuidado. E nem precisa custo com as sacolas que distribuem: elas aproveitam as que vêm dos supermercados, embalando as mercadorias domésticas. Viva Adriana e e Natally! O poder público e os pet shops deveriam se espelhar nas meninas, para campanhas idênticas. Na Rua do Chacon, no mesmo bairro, clientes de uma galeria comercial viviam reclamando, porque sempre pisavam na sujeira, deixada nas calçadas. Alguns diziam que o problema era por conta de pet shop, cujos  funcionários ou clientes passeavam com os animais, espalhando sujeira no passeio público. Com um cata-caca, o problema foi bastante reduzido.  Por um Recife mais limpo!

Leia também:
Casa Amarela tem campanha ECOcô
Rua do Futuro: luxo nos prédios e sujeira de cachorro nas calçadas
Rua do Chacon dá exemplo de cidadania
Terra sem lei na praia de Boa Viagem
Boa Viagem precisa de mais fiscalização
Boa Viagem é local de estresse?
Dia das Mães com saúde para os totós
Feira de adoção de totós na sexta

Texto e  fotos: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *