Macaco-prego aparece em Apipucos

Esse meu bairro realmente… Já vi tamanduá mirim, preguiça perdida, capivara, jiboia, jacaré.  Sapo cururu tem de bolo, alguns até se  “hospedam” na minha casa. Pois agora foi a vez de um macaco. E não foi um sagui não, porque dessa espécie, existe aos montes por aqui. Invadem nossas cozinhas até para roubar comida.  Alguns, sem cerimônia, comem nas minhas mãos. Mas o que apareceu na terça-feira, em Apipucos, foi um macaco-prego-comum (Sapajus libidinosus), já encaminhado à Agência Estadual do Meio Ambiente (Cprh).

A entrega foi feita pela estudante Marília Braga de Oliveira. Ela disse que o animal aparecia constantemente na Travessa do Mussu, já perto do bairro de Dois Irmãos, próximo ao cruzamento com a BR-101. Na área, ainda restam algumas matas. A estudante contou que atraiu o macaco com bananas, conseguiu pegá-lo, e fez entrega voluntária à Cprh. Marília temia que o animal fosse aprisionado em alguma imóvel particular. O macaco já está no Centro de Triagem de Animais Silvestres da Cprh, o Cetas Tangara.

O Cetas fica no bairro da Guabiraba, Zona Norte do Recife. Ali, ele terá contato com outros indivíduos da sua espécie, para posterior reintrodução à natureza ( macacos não são animais de fácil reintrodução, porque normalmente o grupo rejeita os “forasteiros” ou agregados que chegam de última hora). O macaco prego também é chamado de mico-de-topete. E tem um importante papel na natureza. Ele se alimenta de frutas e insetos. Das frutas, dispersa sementes, fazendo o papel de semeador, de jardineiro, a exemplo do que ocorre com outros mamíferos, como morcegos e cutias . Como se alimenta também, de insetos, presta grande serviço no controle biológico de pragas, ajudando até mesmo a proteger a agricultura. E ainda tem gente que não gosta das plantas nem dos animais. Viva a natureza!

Leia também:
Sérgio: seis horas para salvar sagui
Longa viagem para salvar raposas
Pintor ameaçado salvo por Edivânia
Pedreiro salva capivara
Dia das mães com saúde para totós

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Cprh/ Divulgação

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *