Bons exemplos de amor a animais

Duas pessoas bonitas. O pedreiro Zenio Laurentino dos Santos e o policial civil Olimpio Nogueira de Lima Júnior. Os dois salvaram dois animais silvestres, encontrados em ambientes urbanos, e em dificuldades para se locomover. “Não gosto de ver passarinho preso e nem machucado, com dificuldade de voar”, afirmou Zenio, ao entregar um gavião carijó à Agência Estadual do Meio Ambiente (Cprh).  A ave foi encontrada na Rua Córrego do Ouro, em Casa Amarela, Zona Norte do Recife.

A ave estava em uma residência, e parecia machucada, com dificuldade de lançar voo. Ele disse que não pensou duas vezes, quando viu o animal estressado e provavelmente ferido. “Assim, ele corre risco”, suspeitou. E levou a ave para o lugar de direito. O gavião já está no Centro de Triagem de Animais Silvestres da Cprh (Cetas Tangara). Após tratado, será reintroduzido à natureza.

Cágado, com sinais de atropelamento ou maus tratos, foi resgatado por policial civil em Jaboatão dos Guararapes

O policial Olímpio encontrou o cágado no asfalto, à margem de um canal, próximo ao Hospital da Aeronáutica, no município de Jaboatão dos Guararapes, Região Metropolitana do Recife. Morador do Jordão, ele levou o animal para sua casa de madrugada (quando o achou), mas na tarde do mesmo dia (a última quarta-feira), entregou o bichinho à Cprh.

Embora muitas pessoas confundam jabutis e cágados, são animais bem diferentes, apesar da casca grossa. Os primeiros, mais lentos, gostam mais da terra. Os segundos, ligeiros, preferem a água. O cágado botava sangue pela boca, o que indica que pode ter sido atropelado ou ter ingerido alimento incompatível com a espécie. Quando estiver restabelecido, voltará à natureza. Feliz uma cidade, que tem gente como Zenio e Olímpio, que salvam os bichos silvestres que se perdem na selva de concreto em que o Recife vem se transformando. E viva a natureza!

Leia também:
Longa viagem para salvar raposas
Animais: eles precisam de nós
Pintor ameaçado salvo por Edvânia
Pedreiro salva capivara 
Sérgio: seis horas para salvar um sagui

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Divulgação/ Cprh

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *