Repertório dos Beatles no Santa Isabel

Hoje é terça-feira, mas vá logo se programando porque na quarta-feira (29) à noite tem o sexto concerto oficial da temporada da Banda Sinfônica do Recife.  E vai ser bom. O repertório vai dos maiores sucessos dos Beatles ao Novo Tempo, de Ivan Lins. Será às 20h, com repertório eclético, para agradar a gregos e troianos.  A apresentação – patrocinada pela Secretaria de Cultura – é gratuita. Mas é preciso chegar uma hora antes para retirada de ingressos na bilheteria do Teatro Santa Isabel. A Banda Sinfônica contemplará repertório clássico e popular.

Ao todo, a Banda Sinfônica executará sete peças. O programa, preparado pelo maestro Nenéu Liberalquino, começa com um clássico erudito assinado por Gioachino Rossini, um dos mais bem sucedidos compositores eruditos da história. Escrita em apenas três semanas, O Barbeiro de Sevilha não foi muito bem recebida pelo público em sua estreia, no ano de 1816, embora tenha vindo a se tornar mais tarde um grande sucesso no mundo inteiro. Depois, serão tocadas Satiric Dances, de Normam Dello Joio, profícuo compositor americano, que começou a carreira aos 14 anos, tendo deixado um vasto legado musical. E tem Novo Tempo, de Ivan Lins, celebrado compositor brasileiro, que já teve canções gravadas por músicos do quilate de Sarah Vaughan e Ella Fitzgerald, entre outros.

A quarta peça da noite será um medley assinado por Jay Bocook, com sete das maiores composições dos Beatles, uma das mais aclamadas bandas de rock do mundo: Because, Drive My Car, What You’re Are Doing, The Word, Eleanor Rigby, Hey Jude e Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band. Trilha sonora de  cinema executada no concerto será Somewhere in Time, de John Barry, com arranjo de Calvin Custer, da célebre tragédia amorosa Em Algum Lugar do Passado, que fez suspirar muitas gerações de apaixonados. Completam o repertório preparado por Nenéu para a apresentação do dia 29 O Vôo do Besouro, da ópera Czar Saltan, de Nicholas Rimsky-Korsakov, com arranjo de Andrew Glover. E ainda a tupiniquim Na Glória, de Ary dos Santos e Raul de Barros, com arranjo do pernambucano Spok e solo de trombone de Marcos Flávio.

 

Leia também: 
“Danado de Bom” no Santa Isabel
Banda Sinfônica: de Mozart a Pixinguinha
Música de cinema para todos

Texto e foto: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *