Os “remendos” nas pedras portuguesas

Muito bom saber que calçadas tão bonitas como as da Academia Pernambucana e Letras, na Avenida Rui Barbosa, estão passando por processo de restauração, retomando o modelo original e sendo entregues à população, como ocorre hoje à tarde, durante festa na APL, que fica nas Graças. Calçadas são muito importantes para a mobilidade e a  acessibilidade. Pode-se até dizer que uma cidade sem boas calçadas é a prova viva da falta de respeito à cidadania.

E calçadas tanto podem virar cartões postais, como uma marca registrada das cidades. São famosas as de Barcelona e de Paris, por exemplo. Em alguns casos, como ocorre no Rio de Janeiro, a fama delas ganha o mundo.  Viram marcas registradas. Quem não identifica em uma canga, uma capa de livro ou mesmo na estampa de uma poltrona a inspiração nas “ondas” do mar nas calçadas de Copacabana?

Em pleno centro do Recife, na Avenida Guararapes, as calçadas de pedras protuguesas estão com buracos: risco.

No Recife, temos locais cujas calçadas podem contribuir enormemente para embelezar a paisagem, embora sejam pouco utilizadas. Exemplo: as calçadas do Cais José Estelita e a do Paço Alfândega, de frente para o Rio Capibaribe.  Infelizmente temos exemplos terríveis de falta de cuidado e de omissão mesmo do poder público, quanto às calçadas do Recife. Recentemente passei pela Rua do Rosário e fiquei impressionada com o descaso. O piso de pedras portuguesas está cheio de remendos de cimento. Um atentado à estética e um desrespeito à cidade.

Estava com um grupo das chamadas Caminhadas Domingueiras. E, andando pelo centro, fiquei impressionada com o péssimo estado dos nossos passeios públicos, sejam na Boa Vista, em Santo Antônio, São José, ou no Bairro do Recife. Tem calçada cheia de buracos em todos os lugares. E muitas pedras soltas. Ao seguir para a Avenida Guararapes, a fim de pegar um ônibus para retornar ao meu bairro, me defrontei com novos buracos no canteiro central da Avenida Guararapes, onde fica uma grande concentração de prédios no estilo art déco, que aqui não são valorizados como deveriam. Já em Miami, nos Estados Unidos, o bairro com  prédios dessa época é uma das principais atrações turísticas da cidade. No Recife, no entanto, tudo é “diferente” dos outros lugares. Acorda prá Jesus, meu povo! Oxe,Recife.

Leia também:
Calçadas detonadas no Centro
Calçadas nada cidadãs
Bagunça nas calçadas do Recife
Pedras nada portuguesas
Cadê as pedras portuguesas?
Pedras portuguesas sem certeza
Uma “piscina” no meio do caminho

Texto e fotos: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *