FPI resgata animais em risco no Sertão

O número de animais silvestres resgatados na Fiscalização Preventiva Integrada (FPI) já soma mais de mil em Pernambuco. A operação gigante ocorre no Sertão, com o objetivo de preservar a natureza para melhorar a qualidade de vida da população. Os últimos 23 bichos foram resgatados em uma fazenda no município de Tuparetama, que tinha em cativeiro espécies consideradas vulneráveis na Lista Vermelha da IUCN (União Internacional de Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais). Entre eles, um tucano-de-papo-branco e um jacu.

Além do tucano e do jacu, o proprietário – cujo nome não foi revelado – tinha arara-canindé, asa branca, duas araras macau, siriemas, macaco prego, dois tatus pebas, jabutis, galos de campina, juriti e arribaçãs. Ele levou multa de R$ 25 mil por manter em cativeiro animais silvestres. O mesmo cidadão também teve que desembolsar R$ 114 mil por desmatamento ilegal de nada menos de 113 hectares de caatinga. Tuparetama fica a 385 quilômetros do Recife.

Até o momento, a FPI já resgatou 1.017 animais no Sertão, entre os que estavam em cativeiro ilegal, e os provenientes de entrega voluntária. São aves (86%), répteis (10%) e mamíferos (4%). Deste total, aproximadamente 40% já foram devolvidos à natureza, em áreas de seus habitats naturais, nas três ações de soltura realizadas durante o programa. O Centro de Triagem de Animais Silvestres da Cprh (Cetas Tangara), está com unidade provisória montada em um sítio na área rural de Afogados de Ingazeira, onde já realizou oito cirurgias. A Cprh, o Ibama, Ministério Público, Polícia Militar estão entre as 50 instituições que participam da FPI, que já percorreu, antes, quatro outros estados.

Leia também:
Operação gigante mobiliza Sertão
Árvores viram carvão no Sertão
Pássaros ganham liberdade no Sertão
Cisternas mudam vida dos sertanejos
“Mexeu com a natureza, mexeu comigo”
Povo e aceiros contra o fogo no Sertão

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Cprh/ FPI/ Divulgação

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *