Olha! Recife: Derby no domingo

Como normalmente ocorre, as inscrições abriram na manhã da sexta-feira (3/8). Mas como o passeio é a pé, sempre resta vaga para mais uma pessoa, nas caminhadas do Projeto Olha! Recife. Então não perca tempo, se não tiver o que fazer na manhã do domingo, quando o destino é o bairro do Derby, com sua famosa praça, atualmente transformada em jardim histórico. Estive recentemente andando por lá com o Grupo Caminhadas Domingueiras, quando soube que ali há pelo menos quatro tipos de estilos arquitetônicos: neocolonial, eclético, art déco e moderno.

Ou seja, uma variedade grande para se ver. O bairro do Derby surgiu no século 19, quando chamava-se Estância. Em 1988, tinha ali uma pista de corrida de cavalos, da Sociedade Hípica Derby Club.  Esquecida a pista, o empresário Delmiro Gouveia (1863-1917) comprou o terreno. Homem à frente de sua época, ele construiu um mercado que, naqueles tempos, estava para o Recife como estão hoje os shopping-centers. O prédio foi destruído por um incêndio em 1900, sendo posteriormente restaurado. Desde 1924, funciona como o Quartel Geral da Polícia Militar. A edificação é imponente, como vocês podem conferir na foto acima.

Já a Praça do Derby – uma das mais bonitas do Recife – era antes uma área recreativa de um hotel ali fundado, também por Delmiro Gouveia. Em 1925, já funcionava como área pública. Na década de 1930, a Praça foi reformada sob a batuta de Burle Marx, um dos paisagistas mais famosos do mundo.   A Praça é tombada pelo Iphan e foi elevada à categoria de jardim histórico. O hotel  de Delmiro Gouveia funcionava no local onde fica hoje o casarão que sedia o Memorial de Medicina de Pernambuco (Rua Amaury de Medeiros, 206). Para uns, seu estilo é neoclássico. Para outros, eclético.

  Perto do Memorial de Medicina ficam duas outras edificações de grande interesse arquitetônico: o Pavilhão Luiz Nunes (Rua Jenner de Souza, 130) e a Fundação Joaquim Nabuco (Rua Henrique Dias, 609). O primeiro é hoje sede do Instituto de Arquitetos do Brasil e é um dos exemplares dos primeiros anos da arquitetura moderna no Brasil. Já o prédio da Fundaj, o Ulysses Pernambucano, foi recentemente restaurado, é um dos modelos da arte déco no Recife.  No seu interior fica o Cinema da Fundaj, um dos mais simpáticos do Recife, cujas janelas dão para o Rio Capibaribe. Até meados do século 20, o Derby era considerado um dos bairros aristocráticos do Recife. Apesar de verticalizado, restam-lhe alguns casarões dos seus tempos áureos. O Olha! Recife é um projeto de sensibilização turística da Prefeitura, no qual todos os passeios são gratuitos. Já fiz vários. E sempre valem a pena.

Serviço:
Olha! Recife a pé
Onde: Derby
Local de encontro: Praça do Derby em frente à agência do Bradesco
Data: 5/8/2018
Horário da saída: 9h
Inscrições no site: www.olharecife.com.br (ainda havia vagas na noite da sexta)

Leia também:
Derby: eclético, art déco, modernismo
O oásis do Hipódromo
Praça Fleming e o Recife sem memória
Minha tarde no Olha! Recife

Texto e foto: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *