Dejetos infectos no meio do caminho

Pensem em uma cena triste. Se em Casa Forte, ao lado de um sofisticado centro de compras – no caso o Plaza Shopping – o esgoto corre ao lado do meio-fio, imaginem o que esperar na periferia, onde esse serviço é ainda mais precário. É inacreditável que o Recife, em pleno século 21, tenha não mais de 30 por cento de sua população com acesso a esse serviço básico. Um serviço, aliás, que é direito do cidadão (que paga seus impostos). E que   é obrigação do Estado fornecê-lo.

Mas… cadê. Na manhã da quarta-feira fui ao Plaza realizar operações bancárias, e me deparei com as pessoas fazendo acrobacias para não pisar nessa imundície que, com certeza, é uma forma de transmitir doença. Inclusive a famigerada leptospirose, que é transmitida por urina de rato de esgoto. Estava calçando tênis e também dei meu pulinho, para evitar me contaminar com água tão suja, que se sentia de longe a fedentina.

O pedestre da foto ainda teve sorte, porque estava de calçado impermeável mas teve gente que meteu o pé no esgoto.

Quase em frente ao Plaza, vi uma moça que, usando sandálias, molhou o pé sem querer, ao calcular errado a distância entre o meio-fio e o calçamento que dá acesso àquele centro de compras. Eca! E não é de agora, que acontece esgoto transbordando naquela área. Eu, que passo sempre por ali – andando – vez por outra observo esse problema,  o que é cada dia mais comum na Zona Norte. Alô, alô, Compesa!

Perto do Plaza, pior ainda é quando o pedestre se depara com um motorista mal educado, e corre o risco de levar um “banho”, na esquina com a Avenida Dezessete de Agosto, onde tem mais água acumulada. O mau cheiro estava insuportável, na manhã da quarta. Como se já não bastasse o péssimo odor que exala do Canal Parnamirim – um ex-riacho que virou esgoto a céu aberto  e que passa no meio da área do Plaza – nós ainda temos que suportar um fedor a mais. Fedor duplo é um absurdo. É por isso que Jomard Muniz de Brito, um dos meus gurus, diz que o “Recifede”.

Leia também: 
Dejetos infectos em Casa Forte
Esgoto no caminho do Plaza 
“Riacho” Parnamirim ainda tem jeito
Pedestre ganha travessia em Casa Forte
Pedestre ainda sofre em Casa Forte
Mais 19 anos sem saneamento, pode? 

Texto e foto: Letícia Lins/ #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *