Cuidado! Os preços endoidaram

Todo cuidado é pouco na hora de usar o nosso dinheiro. Sou um pouco sem jeito para pechinchar, a não ser em mercados públicos, principalmente em locais turísticos, onde a pechincha é a regra para negociar a compra de algum produto. Mas embora não peça os famosos “descontos”, gosto de pesquisar preços. Dia desses, precisando de um medicamento, aproveitei a caminhada para perguntar o preço em várias farmácias.

Pasmem: encontrei diferenças de até R$ 40 em um remédio que custava mais de R$ 120. Até que entrei na Farmácia Pague Menos e descobri um preço intermediário. Comentei com a vendedora que ia voltar a uma das farmácias, onde o preço era ainda mais baixo. Bingo! O gerente ouviu a conversa e , de imediato, equiparou o valor ao da concorrência. Pois nesta semana, tomei um susto.

Em supermercados próximos,o preço de um mesmo produto pode ter diferença de R$ 30, como é o caso do queijo.

Em redes de grandes supermercados – como Pão de Açúcar e Walmart – encontrei queijo prato Regina (que não chega a ser um produto sofisticado) por  mais de R$ 70 o quilo, o que é um absurdo. Dica para donas de casa e leitores: o mesmo produto foi encontrado a R$ 42,49 nos supermercados Bomde e Extrabom, na Zona Norte.

Detalhe: diferença de quase R$ 30 (R$ 28,41) entre dois mercados – no caso o Pão de Açúcar e o Extrabom,  que ficam, um, bem pertinho do outro. Quando vi o preço mais alto pela primeira vez, não acreditei. Achei que fosse algum equívoco das lojas em questão. Mas no final de semana confirmei. Não era. Distração na hora de comprar, nem pensar….. O Bomde fica na Estrada das Ubaias, 74, Casa Amarela. E o Extrabom, na Estrada do Arraial,  Tamarineira (antigamente chamavam ali, também, de Casa Amarela). Defronte do Hospital Agamenon Magalhães.  Um aviso: apesar de constar no post os nomes de supermercados, nada disso é publicidade ou propaganda. Apenas um serviço que o #OxeRecife presta para quem pretende economizar. E como é bom economizar. om R$ 30 pode-se comprar dez quilos de feijão. Ou um livro. Ou seis ingressos para assistir um filme nos cinemas do Museu ou do Derby (ambos da Fundaj), às terças-feiras.

Leia também:
Degola de árvores em supermercados
Horas, trabalho e alimentos perdidos
Os loucos preços da Páscoa

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *