Do século 16 ao 21, no mesmo cenário

Que tal reviver em pleno século 21, uma história que aconteceu no mesmo local, no século 16? Você pode vivenciar hoje e amanhã essa experiência, em Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife, onde será encenada hoje e amanhã peça sobre Branca Dias, em casarão que fica nas mesmas terras onde funcionava no passado o seu engenho. E quem foi ela? Há pessoas que ainda não conhecem bem a história dessa lendária figura feminina, que viveu no Brasil no século 16, depois de ter sido presa pela Santa Inquisição em Portugal.

Em Pernambuco , continuou fiel à sua religião, embora a disfarçasse ostentando crucifixo para driblar a perseguição da Igreja Católica. Essa história, por si só, já valeria a pena. Mas tem mais. Branca veio para o Brasil com os filhos, para se juntar ao marido, um senhor de engenho. Ao chegar à terra, descobriu que ele já tinha outra família. Nem por isso, desanimou. E não hesitou em pedir ajuda da segunda família do companheiro, quando viu o engenho de cana de açúcar da família entrar em crise. Também foi a primeira mulher a ser dona de uma escola particular no Brasil Colônia, com a qual conseguiu amortecer algumas dívidas da família.

Como vocês vêm, uma história rica e encantadora. Ela rendeu a peça de teatro Senhora de Engenho, Entre a Cruz e a Torá, que está completando o sexto ano de encenação, depois de ter percorrido festivais no Recife e no exterior. O grupo responsável pelo resgate dessa história é a Companhia de Teatro Popular de Camaragibe, que está levando a encenação, mais uma vez, ao palco. Serão duas apresentações, nos dias 6 e 7 de julho (sexta e sábado), a partir das 19h.

Elas ocorrerão no Casarão de Maria Amazonas, em Camaragibe. E por esse motivo, o clima da apresentação promete despertar muita emoção, já que foi naquelas terras que Branca Dias viveu com sua família, depois de ter sido denunciada à Inquisição pela própria mãe e pela irmã, em Portugal. Ela conseguiu convencer o Santo Ofício que precisava de liberdade para criar os filhos, inclusive uma menina com problemas mentais. Mas no Brasil, passou a ser perseguida, também. Já assisti a peça, e recomendo. Texto bom, claro, esclarecedor e montagem muito criativa. Durante o final de semana o Grupo homenageia o artista José Manoel da Silva Sobrinho (José Manoel), professor, autor, ator e diretor (Como a Lua, Ritos de Perversão, Com Panos e Lendas, Antigona, Linda Rosa e Anjos de Guarda, entre outros.

Leia também:
Saga de Branca Dias volta ao palco
Mistérios do além com Branca Dias
Conheça melhor a lendária Branca Dias

Serviço:
Peça: Senhora de Engenho Entre a Cruz e a Torá
Local: Casarão de Maria Amazonas, Av. Belmino Correa, s/n. Centro, Camaragibe-PE
Dias/Datas: 06 e 07 de JULHO, sexta-feira e sábado
Horário: 19h
Duração: 80 minutos
Ingressos: Inteira: R$30.00 e Meia: R$15.00
Informações: 99536-4746, 98773-1901, 99771-5864, 98794-9524

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Divulgação

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *