Praça alegre e colorida na Mário Melo

No último domingo, decidi andar à toa pela cidade. Não estava com nenhum dos grupos de caminhadas dos quais faço parte. Depois de uma deliciosa manhã regada a repertório de Chico Buarque, no Projeto Música no Palácio, dei uma esticadinha na Avenida Mário Melo, que felizmente tem um canteiro central largo e arborizado. Mas minha pretensão era ver de perto a Praça Nelson Ferreira, aproveitando a tranquilidade do final de semana.

Confesso, ainda não tinha ido lá. Acho que valeu o investimento de R$ 52 mil feito pelo poder público (Prefeitura, no caso), pois a área antes degradada e imunda, ficou alegre e colorida. Achei interessante como soluções práticas e baratas contribuem para melhorar a paisagem de qualquer cidade, incluindo o Recife. A Praça é dedicada ao Maestro (1902-1976), cujos sucessos animaram os carnavais não só de Pernambuco, mas do Brasil, como é o caso  da Evocação número 1, que em 1957 foi a música mais executada no território nacional, durante o reinado de Momo daquele ano.

Reforma de R$ 52 mil remete aos carnavais do repertório de Nelson Ferreira, em praça em homenagem ao Maestro.

Portanto, muito justa a homenagem.  O local ganhou mesinhas, banquinhos, brinquedos e painéis que remetem ao carnaval e às composições do maestro. O piso central da Praça recebeu um adesivo com a letra de Evocação. E um muro, idem, só que com a partitura do mais famoso frevo de Nelson Ferreira. Os muros de casas vizinhas – antes com concreto escurecido – agora são alegres e coloridos. O “porém” é que o material parece que não tem durabilidade, e começa a se soltar, o que é uma pena. Já tem até pedaço caindo. E como no Recife a manutenção em dia não é a regra, a gente já espera o que vem por aí.

O segundo “porém” é a falta de educação da população, que faz descarte irregular de lixo no local. Mesmo assim, pelo menos cinco pessoas aproveitavam os banquinhos da Praça para matar o tempo, no domingo passado. Além da revitalização, a Praça ganhou uma placa indicativa do Projeto A História nas Paredes, do Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico de Pernambuco. Ela mostra que naquele local, “em casa não mais existente”, Nelson Ferreira compôs “o melhor de sua obra”. O Maestro nasceu na cidade de Bonito, no Agreste de Pernambuco, e consagrou-se como pianista de cafés, teatros e cinemas, no tempo do cinema mudo. É até hoje, um dos compositores mais populares de Pernambuco, tendo atuado, também, como regente de orquestra, e produtor musical, radiofônico e de novelas. Vamos torcer para que a graciosa pracinha não fique abandonada como a grande maioria das praças do Recife.

Leia também:
Praça José Vilela ganha só limpeza
Praça do Entroncamento virou exemplo 
Praça Tiradentes é exceção da regra
Bagunça no Mercado da Madalena
Praça renovada no Poço da Panela
O oásis do Hipódromo

Texto e foto: Letícia Lins/ #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *