“Canteiro” sem verde na Avenida Norte

Na Semana do Meio Ambiente, não custa nada lembrar. Como se não bastasse a polêmica contra o canteiro central da Avenida Norte – que virou símbolo de obra contra a acessibilidade – a intervenção tem outro problema, para o #OxeRecife. Simplesmente não possui um espaço para plantio de árvores, que humanizariam aquela que é um dos mais importantes e também mais inóspitos corredores viários do Recife. A obra em execução virou uma ode ao concreto. Ali bem que caberiam umas plantinhas como as espirradeiras, por exemplo. Não criam grandes raízes, não crescem muito, mas amenizam o ambiente, pois estão sempre floridas. Mas qual nada. O canteiro central é só concreto e pronto.

Como vocês sabem, a Avenida Norte possui nove quilômetros de extensão, e vem recebendo mais de R$ 2, 8 milhões em investimentos, para implantação de 266 postes, e substituição de gelos baianos por um “canteiro” central, para o qual não está prevista uma só plantinha.  Até porque nas extensões já concluídas, o que a gente vê é só concreto, concreto e concreto.   Haja falta de amor ao verde e ao Recife…  A avenida tem início na esquina com a BR-101, no bairro da Macaxeira, Zona Norte do Recife. Corta a Macaxeira, Casa Amarela, Tamarineira, Rosarinho, Encruzilhada, Torreão, Santo Amaro. E ainda margeia Mangabeira, Alto José do Pinho,Vasco da Gama, Nova Descoberta, Espinheiro. Portanto, ficaria bem mais interessante se fosse uma via arborizada, que desse conforto a pedestres e ciclistas.

Esse trecho da Avenida Norte deveria servir de inspiração aos atuais gestores, que privilegiam o concreto.

A preocupação com a manutenção e implantação do verde, no entanto, parece que passou longe dos idealizadores do “canteiro” central em implantação. Apesar dos seus quase dez quilômetros, a Avenida Norte só possui um trecho cujo meio da pista é realmente arborizado. É o que fica entre os bairros da Macaxeira e a localidade de Sítio Grande, ambos na Zona Norte. Quando se chega à altura de Casa Amarela, o que existe no meio da Avenida é um canal fétido, que funciona como esgoto a céu aberto, que depois se transfere para o lado direito do asfalto, no sentido subúrbio cidade.

E as árvores estão cada vez mais escassas. A situação vai se agravar com o canteiro central que a Prefeitura está construindo que, além de ser inacessível a idosos e pessoas com dificuldade de locomoção, ainda vai deixar “torrando” ciclistas e pedestres, pois está todo revestido de concreto, sem um lugarzinho só para o verde tão necessário ao clima tropical do Recife. “Falta pensar nas pessoas”, afirma Luiza Cordeiro de Melo, engrossando as críticas em redes sociais, questionando a obra em implantação.

Leia também:
Parem de derrubar árvores (116)
Cadê o respeito aos cadeirantes
Cadeirante merece mais respeito
Pedestre ainda sofre em Casa Forte
Gelos baianos invadem as calçadas

Texto e fotos: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *