Festa no Pátio para a Mãe África

O Dia da África e comemora a 25 de maio, para lembrar a data da reunião realizada em 1963, na qual 32 chefes de estado de países africanos, reuniram-se em Addis Abeba (Etiópia), em defesa da emancipação  daquele continente, para libertá-lo do colonialismo e do apartheid. Nove anos depois, a Organização das Nações Unidas (ONU), referendou a importância da data, instituindo o Dia da África.

No Recife, a data não passa em branco. Até porque é muito forte a presença da África na nossa cultura, seja na música, na dança, na cozinha, nas artes, na religião, na literatura. Para celebrar o Dia da África, a Terça Negra ganha programação maior, no Pátio de São Pedro, no dia 22. Será uma festa grande, com cinco atrações e nada menos de oito horas de programação.

Se a Terça Negra geralmente começa a partir das 20h, nesse dia 22,  festa tem início às 16h, com uma feira afro de empreendedores. E segue, das 19h às 23h, com apresentação do Fórum Permanente de políticas Públicas para Capoeira e apresentações do Balé Afro Magê Molê, do Afoxé Omulu Pá Keru Awo. Mantendo uma tradição cultivada há muitas terças, o encerramento será no embalo do coco, com o Coco dos Pretos.

Leia também:
Entre Boa Viagem e a África
Noite afro no Pátio e no Marco Zero
Qual foi o mal que lhe fez Yemanjá?
Michele Collins entre a mobilização dos terreiros e o Ministério Público
A única mestra de maracatu
Ervas sagradas ganham sementeira
Intolerância religiosa cresce no Recife
Alexandre, juremeiro e mestra 
A missão de Pai Jefferson Nagô
Cultura negra valorizada no Recife
Escola Cândido Duarte luta contra racismo ambiental

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Divulgação/ PCR

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.