Cultura “geek” chega na Academia

Antes tida como uma instituição sisuda e frequentada por idosos, a Academia Pernambucana de Letras está cada dia mais próxima dos jovens. Tem atraído um público formado de estudantes – do ensino médio e universitários – durante as sessões do Projeto Roda de Conversas, coordenado pelo escritor Cícero Belmar. Os encontros têm sido frequentados não só por acadêmicos e intelectuais, mas sobretudo por universitários e alunos do ensino médio, como foi o caso da Escola Estadual Tabajara, que chegou lá com um ônibus cheio de estudantes,  no mês passado, para assistir à palestra do escritor Sidney Nicéas.  Há jovens que, desde aquele dia, passaram à condição de frequentadores assíduos das reuniões. No sábado, 19,  o que estará em discussão é o tema Mulheres no Mundo Geek. O assunto promete, e houve muitas indagações a Belmar.

Autora desse trabalho, a quadrinista Roberta Cirne discutirá  a presença de mulheres no mundo Geek na APL.

“O que é Geek?”, perguntaram várias pessoas. “Geek é uma expressão contemporânea para aglutinar um comportamento.  A palavra não tem uma tradução literal, mas é um termo que foi criado para reunir todos os aficionados na cultura pop. Ou seja, o pessoal que curte história em quadrinhos, séries, RPG, jogos em geral, o universo da literatura fantástica, aliens, e dos super heróis. Sabe os cosplayers? aquele pessoal que se veste de super herói? É também cultura geek”, lembra o acadêmico. Ele convidou Roberta Cirne e Heloísa Pimentel para discorrerem sobre o assunto. “É que apesar dos avanços sociais nas questões de gênero, há quem ainda acredite que as histórias em quadrinhos têm um direcionamento voltado para homens, principalmente, a partir da adolescência. Ou, pelo menos, ainda acreditam que o mundo geek  é um ambiente predominantemente masculino”.  E sentencia: “Nada mais ultrapassado”.

Revista em quadrinhos será lançada pela primeira vez na Academia Pernambucana de Letras (Graças),  no sábado.

Cícero Belmar lembra que “as mulheres não só consomem, mas também produzem, trabalham com quadrinhos, fazem  mestrado e doutorado, e especializam-se em temas que se aprofundam na arte das histórias em quadrinhos”. E acrescenta: “A nova visão do cinema de super heróis, por exemplo, tem uma raiz na luta da mulher dentro do mercado geek. Mas, o que leva algumas mulheres a se interessam pelo chamado mundo geek?, indaga, antecipando uma das provocações que movimentará o encontro do sábado.  O Projeto Roda de Conversas foi formatado por sugestão da Presidente da APL, Margarida Cantarelli, justamente  para atrair escritores alternativos e jovens ao ambiente da Academia.  As convidadas  da vez entendem do babado.  Roberta Cirne  é quadrinista, e Heloísa Pimentel, professora universitária.

Na ocasião, será lançada a revista em quadrinhos Sombras do Recife – volume 1, desenhada e escrita por Roberta. “Esta é a primeira vez que uma revista em quadrinhos será lançada na Academia”, diz ela. “Através do Roda de Conversas, a APL vem se consolidando como equipamento que dialoga com quem produz os diversos tipos de literatura no Estado, independentemente de pertencer aos quadros da entidade”, afirma presidente da APL, Margarida Cantarelli.  “Esta é a quarta edição do Projeto Roda de Conversas, que vem sendo desenvolvido com muito êxito na APL. As conversas são informais e os participantes têm livre acesso. Basta chegar e entrar. Sempre que ocorre uma nova edição, estamos atraindo muitas pessoas para este espaço de debate. É uma honra receber um público que está produzindo uma literatura extremamente contemporânea”, acrescenta o acadêmico Cícero Belmar, coordenador do projeto.

Leia também:
Livros e Academia mobilizam escolas
A desconhecida face de Sidney Nicéas
Conversa com Sidney Nicéas na Academia 
HQ na Academia Pernambucana de Letras 
Carlos Pena dos “desejos presos” na APL
“Assombração” mobiliza Academia

Serviço:
O quê:  Projeto Roda de Conversas
Tema: Mulheres no Mundo Geek
Com quem: Roberta Cirne e Heloísa Pimentel
Quando: sábado, 19
Horário: 15h
Onde: Academia Pernambucana de Letras, Av Rui Barbosa,  1596 Graças
Quanto: Acesso livre e gratuito ao público

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos e ilustrações : Roberta Cirne/ Cortesia

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.