Apelo em vídeo e no MP: “Não deixem morrer a única pista de surf skate”

Já chegou ao Ministério Público de Pernambuco o primeiro questionamento quanto à intervenção, ou melhor, à destruição da pista de skate do Parque Santana, na Zona Norte do Recife.  O arranca-arranca  começou hoje de manhã, com retirada das placas de concreto daquele equipamento, um dos mais elogiados pelos adeptos do esporte no Recife. Embora esteja em bom estado, a Prefeitura informa que vai investir R$ 600 mil, para implantação de uma nova, “mais democrática” que a atual.

Segundo os especialistas, a pista é a única do Recife com características para a prática de surf skate. Eles defendem que ao invés da destruição, a Prefeitura deveria optar pela construção de uma segunda, em outro local, podendo ser no próprio Parque Santana. A representação no MPPE, tem número de protocolo 48559052018-5. E é assinada pelo  Vicente Simoni, praticante do esporte.  “Hoje, 16/05/2018, foi iniciada obra de reconstrução da pista de skate do Parque Santana (bairro de Santana, Recife), sem consulta aos usuários da pista”, acusa o engenheiro.  Veja o vídeo de Felipe Cadena, no qual a qualidade da pista é ressaltada e em que é externado o temor de mudanças na pista do Santana.

Simoni questiona o valor do serviço e até a empresa escolhida. “A partir de informações públicas, observa-se que a obra está orçada em R$ 600 mil (dinheiro público), mas a empresa executora (USA Construção e Incorporação, criada em 2015), possui capital social de apenas R$78.800 e não possui grande experiência na construção de skateparks nem é referência nessa área”, acrescenta. Ele invoca a frequência do Santana: “Além disso, as máquinas começaram a destruir a pista sem qualquer isolamento de segurança prévio da área e quebrando inicialmente a parte interna da pista (bowl). Destaco, ainda, que a pista existente estava em boas condições de uso e era utilizada diariamente por dezenas de skatistas”.

Ele repete argumentação de outros skatistas, quanto à excelência da qualidade da pista do Santana, que “é referência para muitos praticantes da modalidade surfskate no Recife, sendo a única em termos de nível de prática e desenho no Nordeste”.  E acrescenta: “Além do bowl, a pista existente conta com grande área no entorno para possíveis expansões e melhoras, o que torna desnecessária a destruição do desenho original snake e bowl. Ele pede que a obra “seja paralisada, até que os devidos esclarecimentos sejam prestados aos usuários da pista, à comunidade de skatistas do Santana e ao público em geral, usuário do parque”. Passei cedo, no Parque, e já era grande o número de placas de concreto arrancadas. E o número de protestos, também. Cá para nós, penso que os skatistas estão cobertos de razão. Para que destruir o que é bom e funciona? Diz a Prefeitura que a nova pista será “mais democrática”. Vejam o vídeo aqui postado com atenção.

Leia também:
“Desperdício de dinheiro público” e rebu no Parque Santana

Texto e foto: Letícia Lins / #OxeRecife
Vídeo: Filipe Cadena/ Internet

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *