Gavião carijó achado na rua

Enfermeira muito legal, Edjane Helena de Albuquerque Santos. Como se não bastasse a trabalheira que lhe atribuem os ossos do ofício, ela ainda arranjou tempo para socorrer um gavião-carijó (Rupornis magnirostris), ave de rapina que tem importante função na natureza, agindo como ponto de equilíbrio da fauna, pois contribui para evitar superpopulações de animais como pombos e ratos.

Infelizmente essa espécie normalmente enfrenta maus tratos (como as raposas e os timbus), por ser visto pela população (principalmente do interior) como ameaça a galinheiros e pequenos pássaros. Edjane estava na calçada, quando viu uma ave com dificuldade para voar. Julgou tratar-se de um pombo. Mas ao chegar perto, descobriu que tratava-se de um gavião jovem, com um ferimento no olho.

Depois de cuidar da ave, Edjane entrou em contato com a Delegacia de Polícia do Meio Ambiente (Depoma), da Polícia Civil, que fez o resgate e levou o gavião à sede da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), em Casa Forte. Ele já está no Centro de Triagem de Animais Silvestres da Cprh, o Cetas Tangara, da CPRH, que funciona em área rural no Bairro da Guabiraba, Zona Norte do Recife. E para onde são encaminhados animais silvestres que necessitam de tratamento e/ou reabilitação, muitos resgatados do tráfico.

Leia também:
A festa da Maria Mulata
Mãe da Lua com asa quebrada
Ave é animal mais visado pelo tráfico 
Respeite o faxineiro da natureza
Oferta de R$ 500 por gavião bebê
Cipoma destrói rinha de canários
Torneio clandestino de curiós 

Texto:  Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Divulgação/ Cprh

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *