Capibaribe passa por limpeza na Aurora

Está de fazer pena, a situação de manguezais do Rio Capibaribe, à altura da Rua da Aurora. A sujeira é tão grande, que quando a maré está baixa, praticamente não se vê o leito do rio. O que se observa é muito, mas muito lixo mesmo: plásticos, garrafas, pedaços de madeira, objetos descartados, tudo que se possa imaginar. Andei recentemente pela calçada que margeia o rio, naquela via, e fiquei impressionada.

Ou seja, como se não bastasse a carga de esgoto que o Capibaribe recebe, ele ainda enfrenta o descaso da população, que trata aquele patrimônio de Pernambuco como se um lixão fosse. Nesta semana, a Autarquia de Manutenção e limpeza Urbana (Emlurb) deu inicio à limpeza do manguezal. A ação, no entanto, é esporádica.  Mesmo assim, é melhor do que nada, já os moradores não cuidam do seu rio como deveriam.

Como se não bastasse a carga excessiva de esgoto, o Capibaribe ainda se defronta com lixo atirado pela população.

O trecho beneficiado com a iniciativa até o final desta semana fica entre as pontes Princesa Isabel e do Limoeiro. A ação conta com o trabalho de 12 homens diariamente, além do uso de caçambas estacionárias para o recolhimento do lixo. O serviço deve se estender até amanhã (20). Cada mutirão de limpeza dos manguezais recolhe aproximadamente uma média de 20 toneladas de resíduos que poluem o rio. E isso, não é pouco, em se tratando de um trecho não tão longo quanto aquele.

É muito triste o que está acontecendo com o Capibaribe, que virou um esgoto a céu aberto, já que o serviço de saneamento é muito precário no nosso Estado, sendo que na Região Metropolitana – onde é maior a densidade demográfica – a situação é muito grave, porque todos os esgotos levam ao Rio.   É inconcebível que em pleno século 21, nossa capital só tenha saneamento em pouco mais de 30 por cento dos seus domicílios Quem paga o preço é o rio e, em consequência, a população. Mas como se esta achasse pouco, ainda descarta tudo que não presta no velho “cão sem plumas”. A

Leia também:
Capibaribe sem apoio em 25 municípios
Capibaribe pode ganhar 100000 árvores
Rio Capibaribe no foco do Dia da Água
Semana da Água: O que comemorar?
“Amigas do Capibaribe” ganharão selo
“Quem vai salvar o rio”?
Extração irregular no Rio Ipojuca

Texto e fotos: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.