Animais apreendidos na Castelo de Areia

Deflagrada para acabar com extração irregular de areia e barro das margens e leito do Rio Ipojuca, a Operação Castelo de Areia terminou com dois outros flagrantes: desmatamento de área de vegetação nativa e apreensão de animais silvestres no Agreste de Pernambuco. As duas irregularidades foram constatadas no município de Bezerros, a 107 quilômetros do Recife.

O total desmatado chega a dez hectares, segundo informação da Agência Estadual do Meio Ambiente (Cprh), que comandou as ações. A multa ainda não foi arbitrada na questão da destruição da caatinga, mas está sendo calculada. Também foram apreendidos 155 animais silvestres, sendo 140 aves e 15 jabutis. Vários desses animais eram de criação doméstica ( o que é proibido, em se tratando de fauna silvestres).

Mas fiscais da Cprh encontraram um indicativo de tráfico que chamou a atenção: morador de Bezerros que trafegava por uma estrada com pássaros e gaiolas acopladas de armadilhas para caça. Os “criadores” foram multados, e os animais recolhidos ao Centro de Triagem de Animais Silvestres de Pernambuco (Cetas Tangara), que fica no bairro da Guabiraba, Zona Norte do Recife. Posteriormente, os animais serão devolvidos à natureza. De onde, aliás, nunca deveriam ter saído.

Leia também:
Ninhos de jabutis achados no Sertão
Jabutis repatriados para Pernambuco 
Aves: 600 vítimas do tráfico em 2018
Quase 6000 aves resgatadas em 2017
A festa da Maria Mulata
Canários da terra apreendidos

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Divulgação / Cprh

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *