Animais voltam à natureza em PE

Vítimas de tráfico, de acidentes – como quedas – ou mesmo de desmatamento desenfreado, 122 animais silvestres foram reintroduzidos à natureza em Pernambuco, entre aves, mamíferos e lagarto. A liberação ocorreu no decorrer desta semana, no Refúgio de Vida Silvestre Matas do Sistema Gurjaú, que fica no Cabo de Santo Agostinho, Região Metropolitana do Recife.

Os 122 bichos estavam sob cuidados do Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas Tangara), que pertence à Agência Estadual do Meio Ambiente (Cetas Tangara). Região. Foram liberadas 115 aves, de diversas espécies entre papa-capins, guriatãs, canários da terra, chorões, tizius, sibitos. E também um e um pintor verdadeiro (foto), animal ameaçado e que dá nome ao Cetas.  Seu nome científico é Tangara fastuosa, com ocorrência em Pernambuco, Alagoas e Paraíba. Em 2018, já foram liberados mais de 500 animais pela Cprh.

Também foram liberados quatro timbus (não confundir com gabiru), uma preguiça, um quati e uma iguana. Todos passaram pelo menos duas semanas no Cetas, no Bairro da Guabiraba, Zona Norte do Recife. Em 2017, o Centro de Triagem da CPRH acolheu 9.153 animais silvestres, entre aves (7.886), répteis (693), mamíferos (515), exóticos (54) e aracnídeos (5), ao mesmo tempo, promoveu a soltura de 5.454. Este ano, o balanço inicial relativo ao mês de janeiro  registrou o acolhimento de 1.220 animais silvestres e a soltura de 499.

Leia também:
Mais de 9 mil animais acolhidos em 2017
Crianças na reintrodução de animais
Cprh faz reintrodução de 390 animais
A maior das 500 vítimas do tráfico
Jaguatirica “perdida” é resgatada
Evite comer crustáceos ovados
Canários da terra apreendidos
Timbu briga com perua por comida

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Divulgação/ Cprh

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *