Parem de derrubar árvores (100)

Amigos e amigas: Tenho visto, nas redes sociais, que é cada dia maior o número de moradores do Recife que se preocupam com o arboricídio que se verifica em nossa cidade, sem que as árvores assassinadas ganhem reposição. E também sem que os órgãos ligados à defesa do meio ambiente – inclusive o Ministério Público  de Pernambuco – tomem uma providência. Aqui no #OxeRecife, vamos fazendo a nossa parte, com a arma que nos resta: a denúncia, com mapeamento de “defuntos”, registro fotográfico e data do “funeral”. Lamento informar que chegamos ao post número cem de árvores eliminadas na capital pernambucana, o que representa um total de 168 que sumiram do mapa.

E isso  – com certeza –  contribui para o aumento da temperatura da nossa cidade, aumentando o desconforto para moradores, pedestres, ciclistas. Esse post número cem vou dizer a vocês, como aconteceu. Fazia minha caminhada diária, andando pela calçada do Sítio Trindade, em Casa Amarela, Zona Norte do Recife. Vi um toco na área do Sítio, pela grade do muro. Resolvi entrar, para fazer o devido registro, da forma que tenho agido aqui desde o ano passado, com a maior responsabilidade.  Minha cruzada não tem cor partidária, mas sim a cor da natureza. Entrei pela Estrada do Arraial, circulei em volta do secular casarão rosa e nem cheguei à outra saída, que dá na Estrada do Encanamento, no Parnamirim. Em menos de cinco minutos, encontrei sete vítimas da motosserra insana em um raio que penso ser inferior a 300 metros. E em um local que, em tese, deveria ter o verde preservado.

No mês de dezembro, como titular do #OxeRecife, fui chamada para depor em sessão pública na Câmara Municipal, onde foi discutida a política de arborização do Recife. Em outras palavras, o arboricídio. A audiência foi convocada pelo vereador Jayme Asfora (PMDB), que prometeu que no dia seguinte apresentaria um projeto de lei impondo barreiras para a matança indiscriminada de nossas árvores. Hoje é 18 de fevereiro. E cadê? A Secretaria de Desenvolvimento Sustentável  e Meio Ambiente do Recife também prometeu reposição das árvores eliminadas. Dei até um mapeamento delas às autoridades. Pedi que fosse informada quando acontecesse. Até agora, nada… Este ano, além de continuar denunciando o arboricídio praticado no Recife, o Blog vai voltar aos locais da matança. E contar para você, recifense, a quantas anda a prometida “reposição” de nossas árvores assassinadas. Do jeito que a coisa está, o Recife vai virar uma selva de cimento. Essas sete vítimas de arboricídio foram registradas em um só lugar: Sítio Trindade, em Casa Amarela, Zona Norte do Recife. Socooooooooooooooooorro! E Parem de derrubar árvores.

Leia também:
Parem de derrubar árvores
Arboricídio mobiliza Câmara Municipal
Arboricídio vira caixa preta
Arboricídio deixa herança nas ruas

Lei para conter o arboricídio
População acusa arboricídio no Recife

Parem de derrubar árvores (45)
Bogotá: árvores sem danos às calçadas
E viva o verde em Bogotá
As verdes ruas de Carnaíba

Texto e fotos:  Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.