“Isso não é assalto, é horta no asfalto”

“Mãos ao alto. Isso não é um assalto, é horta no asfalto”. Essa foi a forma engraçada e irônica que Zé Brown encontrou para convocar a população de Casa Amarela para a concentração e desfile do Carnahorta, o bloco carnavalesco da horta urbana e comunitária que moradores do bairro implantaram em um terreno antes degradado, cheio de lixo e que era totalmente esquecido pelo poder público.

“Mãos ao alto, isso não é um assalto, é a comemoração deu horta no asfalto. O inacreditável aconteceu, isso pode permanecer, só depende de você”, diz Zé Brown, o músico, cantor, compositor, rapper, embolador, arte educador, fundador do  Banda Faces do Subúrbio, uma das bandas que ajudaram a mudar os morros do Recife. Ele está morando em São Paulo, mas nunca perde o contato com a Zona Norte , principalmente o Alto José do Pinho, onde nasceu, e no qual fundou a Faces do Subúrbio. Veja vídeo divulgado na rede social dos amigos de Casa Amarela, com Zé Brown:

 

Também visita sempre Casa Amarela, onde ainda hoje moram seus familiares. José Brown é  José Edson da Silva. Mas ninguém o conhece pelo nome de batismo. Para todos os amigos e admiradores, ele é José Brown, e pronto. Prometeu que vai participar do bloco que se concentra a partir do meio dia do  domingo (28) na horta comunitária que fica na Rua Professor Souto Maior, em Casa Amarela, pertinho do Sítio Trindade.

Figura muito querida no Recife e admirado pelo seu trabalho,  referência para o rap e hip hop nacionais, ele deu um reforço à domingueira carnavalesca da horta urbana de Casa Amarela, convocando os moradores do bairro para a festa via WhatsApp. E o fez com seu jeito alegre, irônico e divertido. A saída do Carnahorta tem apoio do Instituto Casa Amarela Saudável e Sustentável (Icass). Zé Brown é quem,  é gente.

Leia também:

Entre a horta urbana e a insegurança
Sementes que brotam na Zona Norte
Casa Amarela em campanha pela horta
Festa com samba na horta urbana
Casa Amarela cada vez mais cidadã

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Mário Sérgio Oliveira/ Estúdio Malunguinho/  Divulgação

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *