Parem de derrubar árvores (75)

Hoje, seguindo pela Avenida Norte, próximo à Rua Padre Roma, encontrei mais um tronco decorrente de árvore guilhotinada. Ou seja, mais uma vítima da motosserra insana, do arboricídio que está devastando o verde de ruas e praças do Recife.

Mas o tronco estava todo verdinho. Pensei tratar-se de alguma planta trepadeira – como observei recentemente na Rua Dom Pedro Henrique, em Santo Amaro – mas eram galhinhos brotando, apesar do sol causticante e da pouca chuva do verão.

 

Era uma árvore, que virou pó de serra e cuja “cova” agora está cheia de metralhas. Cena cada vez mais comum no Recife.

Espero que não aconteça a essa sobrevivente o mesmo problema que ocorre em outras ruas da cidade. Por exemplo, na esquina da Rua Desembargador Góis Cavalcanti com a Mizael Montenegro, a árvore (linda por sinal) foi guilhotinada. Meses depois, os ramos começaram a estourar. Não deu outra. O tronco foi totalmente eliminado.

Passei lá e só havia o pó de serra. E nesta semana, quando andei pelo local, o que vi foi um monte de metralha no canteiro que virou cova. A mesma coisa aconteceu na Avenida Parnamirim, em frente ao Serpro e em alguns pontos da Avenida Rui Barbosa. Quinta-feira (7), às nove da manhã, tem sessão pública no plenarinho da Câmara Municipal do Recife para discutir a arborização de nossa cidade. Compareçam. O assunto interessa a todos nós. A iniciativa é do vereador Jayme Asfora (PMDB).

Leia também:

Parem de derrubar árvores
População acusa arboricídio no Recife
Arboricídio mobiliza Câmara Municipal
Parem de derrubar árvores (45)
Parem de derrubar árvores (54)
Parem de derrubar árvores (56)
Parem de derrubar árvores (66)

Texto e fotos: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *