Desmatamento em “pulmão” do Recife

Doze pontos de desmatamento e invasão para ocupação foram identificados em área de mata próxima à Estação Ecológica de Caetés (Esec Catés) e da Área de Proteção Ambiental (APA) Aldeia-Beberibe. Somadas, as duas funcionam como  um grande “pulmão” da Região Metropolitana. Em alguns locais, já havia até casas com construção iniciada.

Mas no final de semana, uma operação conjunta da Agência Estadual do Meio Ambiente (Cprh) e da Primeira Companhia Independente de Policiamento do Meio Ambiente- Cipoma (da Polícia Militar) resultou na destruição de um acampamento, de cercas e das construções, além da apreensão do material encontrado (bicicletas, enxadas, picaretas e outras ferramentas). A ação foi no domingo.

Desmatamento estava ficando feio em áreas protegidas da Região Metropolitana. Segundo flagrante em 15 dias.

As áreas identificadas ficam em território do município de Abreu e Lima, localizado a 18 quilômetros do Recife. A partir desta semana, a Esec e a APA ganharão reforço de monitoramento do órgão ambiental, com a participação também de equipe da Prefeitura local. Em alguns pontos, o desmatamento foi recente e, com a própria madeira desmatada, era iniciada a construção de barracos. Durante a ação, seis homens fugiram pela mata. Os dados do georeferenciamento ainda estão em análise pelo setor de fiscalização florestal, que coordenou a ação.

Na última semana de novembro, em outra fiscalização, agentes ambientais da CPRH constataram desmatamentos em três áreas da Estrada de Aldeia, no município de Camaragibe. Juntas, elas somavam pouco mais de 15 hectares.  Para reforçar as investidas contra  aquelas áreas protegidas, a Cprh instituiu um Grupo de Trabalho (GT) voltado para o setor de fiscalização da fauna e da flora. Semanalmente, os integrantes se reúnem para planejar ações conjuntas – com os órgãos parceiros, além  de apurar denúncias recebidas, com o mesmo objetivo de cair em campo para coibir esses crimes ambientais. Está bom da Cprh montar uma operação em Paulista, onde trechos da Mata Atlântica – como a do Frio – estão sendo criminosamente devastados.

Leia também:

“Pulmão” protegido no Grande Recife
Verde em risco em Paulista
Mais matas devastadas em Paulista
Desmatamentos ilegais em Aldeia
Salvem os ipês, por favor
População acusa arboricídio no Recife
Arboricídio mobiliza Câmara Municipal
Sítio dos Pintos conta a própria história
Em defesa das águas do Nordeste
Riachos podem ser recuperados
Iguanas fogem de matas devastadas

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Cprh/ Divulgação

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *