Parem de derrubar árvores (no Sertão)

Parece o Recife, mas não é não. Esse toco encontrei no meu caminho – sempre eles aparecem – na cidade de Afogados de Ingazeira, no Sertão de Pernambuco, localizada a 386 quilômetros do Recife.

Não vi muitos restos de árvores assassinadas, com a frequência com que a gente constata o arboricídio nas ruas do Recife. Encontrei apenas quatro tocos, todos em ruas principais da cidade, e inclusive na frente do prédio da unidade local da Secretaria da Fazenda do Governo de Pernambuco.

No Sertão, o #OxeRecife flagrou árvores eliminadas, sem reposição e ipês ameaçados de erradicação.

Estavam os quatro sem reposição. Nada, no entanto, que se compare com a realidade do Recife. Mas ali, o que me preocupa, e muito, são os ipês da Avenida Rio Branco, que estão ameaçados. No verão, estão simplesmente lindos.

Recobertos de flores amarelas. Alguns – a Prefeitura já confirmou – terão que ser removidos, para facilitar as obras de requalificação da artéria mais importante da cidade. A população, que costuma conversar nos bancos da avenida, à sombra dessas árvores, não está gostando nada da novidade.

Leia também:

“Mexeu com a natureza, mexeu comigo”
A peleja de Cirino com o pica-pau
Salvem os ipês, por favor
As verdes ruas de Carnaíba
Aceiros e povo contra o fogo no Sertão
Mata da Pimenteira ganha ação
Árvores viram pó no interior
Parem de derrubar árvores (63)

Texto e fotos: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *