“Gatinhos urbanos” e pontos de desova

Todo mundo já ouviu falar em “ponto de desova”. Principalmente no Recife, onde se mata tanta gente. Geralmente a expressão é usada pela polícia para definir os locais onde se joga defuntos, vítimas de homicídios. Mas para um grupo de gente boa, “pontos de desova” são os vários locais da cidade, onde pessoas desalmadas abandonam seus gatinhos. Não vou nem dizer quais são esses locais, porque normalmente quando se divulga, aparecem mais e mais bichinhos enjeitados.

E são tantos – bebês, doentes, idosos – que vários homens e mulheres decidiram agir. E criaram uma página no Facebook, a Gatinhos Urbanos, com fotos dos bichanos passíveis de adoção. Mas não é só isso. “O nosso trabalho é o resgate de animais em situação de risco. A maior parte é de filhotes sem mãe, e a gente tem que procurar uma mãe de leite”, afirma a aposentada Eunice Pereira, voluntária do grupo (de blusa clara e óculos, na foto).“Os animais aparecem famintos, desidratados, debilitados”, conta. “Todas as semanas, recolhemos mais de 20, entre novinhos, médios e adultos”, conta.

Ela diz que quinze voluntários ajudam diretamente na assistência aos gatinhos, que são jogados em vários locais. “A gente acolhe, trata e procura um lar para eles, mas é uma luta difícil, porque só de ração são 160 quilos por mês”, explica. Conta que há animais em condições tão precárias, que precisam de internamentos. Ela disse que o grupo solicitou à Prefeitura que coloque câmeras nos locais de desova, para intimidar as pessoas e, com isso, evitar que elas continuem jogando os bichinhos ao léu. “Até agora, nada”, reclama.

Uma das pessoas solidárias com o Grupo Gatinhos Urbanos é o novo pároco de Casa Forte, Padre Deyvson Soares. Ele tem três felinos em casa, dois dos quais vieram da rua. E no Dia dedicado a São Francisco e que também é Dia dos Animais, ele disponibilizou cestas grandes na igreja para que as pessoas doassem ração para animais de ruas. No caso, não só gatos,mas também cachorros. As doações foram destinadas ao Gatinhos Urbanos, que cuida dos bichanos. E ao Grupo Samaritanos, que assiste cães de rua.

Leia também:

Dia de São Francisco com os “irmãos”
Bênção  para bebê preguiça, no Dia de São Francisco

Texto e foto: Letícia Lins / #OxeRecife

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *