Saga de Branca Dias volta ao palco

Eis mais uma boa oportunidade para se conhecer melhor a história de Branca Dias, judia que conseguiu sair dos cárceres da Inquisição, em Portugal, mudando-se depois para o Brasil, em busca do marido, que era dono de um engenho em Pernambuco. A propriedade se espalhava por onde hoje é a cidade de Camaragibe e o Parque Estadual de Dois Irmãos. Tanto que dizem que o nome do Açude do Prata deve-se a Branca, que teria jogado nele toda a sua prataria, ao se ver perseguida pelo Santo Ofício no Brasil.  Se você quer conhecer um pouco mais da história dessa mulher singular, é bom não perder a oportunidade, porque  Senhora de Engenho – Entre a Cruz e a Torá volta ao cartaz nessa sexta-feira (6), depois de percorrer várias cidades do Brasil e ter chegado até ao exterior.

A montagem é do Teatro Popular de Camaragibe, um dos mais atuantes da Região Metropolitana. Eu assisti a peça, e recomendo. Porque  a montagem é criativa e baseia-se em história real, quase lendária de Branca. Depois de ser denunciada pela mãe e pela irmã e ser presa em Portugal, ela  convence a Inquisição que precisa da liberdade, para criar os filhos. Quando consegue safar-se da prisão, junta as crianças e atravessa o oceano, para reencontrar o marido. No engenho, descobre traição conjugal e dificuldades financeiras.

Mas ela dá a volta por cima e arranja até um jeito de fazer caixa, fundando uma escola particular, tornando-se a primeira mulher a dar aulas por aqui, nos anos 1550. Para a empreitada, conta com a “assessoria” do amigo e poeta Bento Teixeira (autor de Prosopopeia).  Também não mede esforço para manter sua fé judaica, enfrentando o preconceito e a intolerância. O espetáculo Senhora de Engenho – Entre a Cruz e a Torá volta à cena no projeto OUTUBRO OU NADA/ 2° Mostra de Teatro Alternativo do Recife. A apresentação será às 20h da sexta, no Solar da Marquesa, Largo do Varadouro, n 05, Varadouro, Olinda, Pernambuco.

Senhora de Engenho, participou de vários projetos e já viajou ao Chile, Rio de Janeiro, Caicó/RN e Interiores de Pernambuco. Participou do VIII Festival Internacional de Teatro do Chile, Janeiro de Grandes Espetáculos/Festival Internacional de Artes Cênicas de Pernambuco, I Festival de Teatro Hermilo Borba Filho/ Palmares-PE, Todos Verão Teatro, Festival de Teatro de Igarassu, Festival de Teatro de Olinda e o Festival de Teatro do Sertão do Pajeú, entre outros. A  direção é de Emanuel David D´Lucard, que consegue movimentar a peça com poucos recursos e muita criatividade. Ele está se especializando em figuras femininas fortes, aqui de Pernambuco, pois também levou recentemento aos palcos Anna de Ferro, Rainha dos Tanoeiros, que conta um suposto romance entre o Príncipe Maurício de Nassau e uma cortesã que morava perto do porto do Recife.

Leia também:
Entre a Torá, o corno e o marido traidor
Entre a Cruz e o Torá no Agreste
Senhora de Engenho, entre a a Cruz e a Torá: de Camaragibe ao Rio de Janeiro
Branca Dias revive no palco
Mistérios do além com Branca Dias
Amor de Nassau e Anna de Ferro

Serviço:
Peça: Senhora de Engenho – Entre a Cruz e a Torá
Local: Solar da Marquesa, Largo do Varadouro, n 05, Varadouro, Olinda, Pernambuco
Data: 06 de Outubro, sexta-feira
Horário: 20h
Duração: 80 min
Ingressos: Inteira R$20,00 Meia R$10,00
Informações: 99729-9589 / 99536-4746

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *