De bicicleta, com a jiboia amiga

Realmente, existe gosto para tudo. Tem gente que cria iguana, papagaio, macaco, tatu. Está tudo errado, animal silvestre é para viver na natureza. E quando o bicho de estimação é uma cobra ? Era assim que o caseiro Cleber Daniel de Almeida Barbosa (45) tratava Doida, uma  jiboia que ele mantinha em casa como animal doméstico, no bairro da Imbiribeira, Zona Sul do Recife.

A serpente foi entregue à Agência Estadual do Meio Ambiente hoje, depois que ele soube da campanha de entrega voluntária de animais, deflagrada esta semana. Embora seja crime manter animais silvestres em casa, quem faz a entrega espontaneamente fica livre de qualquer tipo de penalidade. Doida tem um metro e meio de comprimento, e chegou à Cprh na bicicleta do dono.

Cleber criava a jiboia desde novinha, e deixava ela solta dentro de casa no Recife: despedida emocionada na Cprh

Ele explicou que tem a cobra desde o tempo que ela era um bebê. E disse ter encontrado Doida em uma fazenda onde trabalhava, no município de Limoeiro, a 77 quilômetros do Recife. “Eu criava a cobra há cinco anos, e gosto muito dela, que vivia solta, dentro de minha casa”, contou, ao despedir-se do animal. Afirmou, ainda, que soube da campanha de entrega de animais pela televisão, e decidiu se desfazer da cobra, temendo ser denunciado. Cleber tinha muito carinho, e até alisou a jiboia, ao vê-la pela última vez.

Informou que com o tempo, ele passou a conhecer os alimentos preferidos da jiboia, e a cada quinze dias lhe oferecia um “banquete” de codornas. O animal foi encaminhado para o Centro de Triagem de Animais Silvestes (Cetas Tangara), para posteriormente ser reintroduzido à natureza. Esta semana, a Cprh recebeu, também,  um jabuti e um canário. Todos foram para o Cetas, que fica na Guabiraba, Zona Norte do Recife.

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Foto: Jonathas Brito / Cprh / Divulgação

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *