Hortas fazem a festa nas escolas

Aos poucos, colégios da rede municipal de ensino começam a implantar práticas que reforçam os conceitos de alimentação saudável e sustentabilidade entre os seus alunos. O Município possui 309 escolas, das quais apenas dez possuem hortas comunitárias, o que já é um bom começo. Na verdade, não existe uma política sistematizada de implantação desses pequenos espaços verdes na rede escolar, mas algumas unidades decidiram tomar a iniciativa. Onde as hortas estão vicejando, elas são usadas para o ensino de forma transversal, nas mais diversas disciplinas. Na Escola Nilo Pereira, que fica no bairro de Casa Amarela, Zona Norte do Recife, a primeira colheita foi nesta semana, e transformou-se em uma festa. Com direito a abraço coletivo.

E olhem que a horta comunitária começou a ser implantada há apenas dois meses, com o cultivo de hortaliças como quiabo, alface, couve, manjericão, alecrim, coentro e hortelã. Os canteiros foram delineados com material reciclado, como garrafas pet. A colheita festiva teve a participação da maioria dos 60 alunos engajados no projeto, com a preparação – ao ar livre – de uma salada verde. Embora o pernambucano não seja tradicionalmente fã de folhas (adora feijão, arroz e farinha), preparar uma salada com alface, couve e coentro colhidos no quintal ou no pátio, já dá água na boca. Ainda mais se sabendo que o alimento é totalmente isento do veneno dos agrotóxicos.

Garotada da Nilo Pereira tem ido à escola até nos finais de semana, para regar a horta, que teve a primeira colheita. 

Responsável pela aula ambiental defronte ao canteiro dos quiabos, o dirigente da escola, George Pereira, explica como surgiu a ideia de produção da horta. “Assim que assumi a escola, em maio desde ano, verifiquei que tínhamos uma área subutilizada de cerca de 800 metros quadrados. Aí convoquei os alunos e os professores e resolvemos implantar nossa horta”, explica. Conta que a iniciativa acabou criando um novo canal de comunicação com os alunos, aumentando a autoestima por intermédio de práticas pedagógicas de incentivo a preservação ambiental.

Morador da comunidade do Detran, Mariano da Silva, de 13 anos, fala da importância do cultivo de hortaliças na escola.. “Essa horta mudou minha vida. Gosto tanto daqui que venho todos os sábados cuidar das nossas plantas. Gosto principalmente da alface, da rúcula, manjericão e salsa”, diz. Pai do aluno Mateus Willis, de 12 anos, o sargento da PM, Pedro José Pereira, foi prestigiar o evento ao lado da mulher, Simone Santos. “Esse é um projeto muito interessante, pois além de produzir alimentos para reforçar a merenda escolar, também incentiva a consciência ambiental dos estudantes”. Muito legal se todos nós cultivássemos hortas urbanas. O bairro de Casa Amarela, aliás, tem um exemplo bom nessa área, já que um grupo de moradores aproveitou um terreno baldio para implantaçãod e uma horta que além de mudar o aspecto do lugar, contribuir para fortalecer os laços da vizinhança.

Leia também:
Aprenda a fazer sua horta e seu jardim
Aprenda o cultivo de hortaliças no Sítio Trindade
Ciência, robótica, professores e alunos a serviço da natureza no Colégio Apoio
Palhaças agitam jardins e cabaré
Vida Verde e saudável no Plaza

Texto: Letícia Lins / #OxeRecife
Fotos: Andrea Rego Barros / Divulgação / PCR

Compartilhe

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *